Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
108 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57535 )
Cartas ( 21185)
Contos (12631)
Cordel (10185)
Crônicas (22291)
Discursos (3141)
Ensaios - (9093)
Erótico (13416)
Frases (44315)
Humor (18629)
Infantil (3912)
Infanto Juvenil (2858)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138263)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4990)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Obituário -- 22/11/2018 - 14:17 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Obituário

Reta final e na parede havia apenas o primeiro nome que poupava os parentes mais vergonhosos daquela história vivida. Ninguém se prontificava em ir reverenciar aqueles restos que em vida nunca teve amparo. Tratava-se de um personagem que tentou diversas formas e por diversas vezes, seguir em frente a cada queda. A fraqueza era tamanha que o olhar mal conseguia forças para elevar e fitar a pupila ao sol. A altura era enorme e a visão apenas rastejava o que de fato lhe era devido. Constava na certidão “ser abandonado numa rua com aspecto esquálido de roupas vencidas. Segundo informações obtidas pelos transeuntes cotidianos, era uma pessoa retraída, de poucas falas pois ninguém interessava o parar e ouvir. A vida era sucesso e correria com poucos prestigiados viciados na fama. Para aquele corpo, não havia testemunhas que pudessem denominar se tal anatomia era do bem ou do mal. Era um corpo falido que em vida, viveu todas as falências.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui