Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
60 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57517 )
Cartas ( 21184)
Contos (12611)
Cordel (10179)
Crônicas (22288)
Discursos (3141)
Ensaios - (9089)
Erótico (13416)
Frases (44292)
Humor (18621)
Infantil (3907)
Infanto Juvenil (2852)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138244)
Redação (2947)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4986)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Estivador -- 08/11/2018 - 07:05 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Estivador

Saco na vida ensacada levou o homem ao cais diante de tantos ais...
Ele sabia o peso sem conhecer o fardo no fado por ele cantado. E foi assim para mais um dia sem saber que direitos mais não tinha, pois uma vez já haviam queimado-lhe as mãos. Nem pôde ter acesso aos livros que os calos barraram-lhe à porta da escola. Olhou o prédio e viu que lá não havia mais ninguém, salvo uma passagem secreta ao cais onde havia um cão e uma flor que nascerá diante do ambiente úmido das ruínas do intelecto. Elevou então o pensamento ao cão e à flor que haviam por ele esquecidos. A flor intacta, devolveu-lhe o aroma agradável da vida e o cão, o prazer da fiel devoção. O cais sempre de portas abertas, acolheu-lhe e mostrou infinitas opções de resistência mar aberto. Resolveu ancorar entre o cais e o mar junto à flor e ao cão.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui