Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
9 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57504 )
Cartas ( 21184)
Contos (12607)
Cordel (10177)
Crônicas (22282)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13416)
Frases (44276)
Humor (18618)
Infantil (3902)
Infanto Juvenil (2848)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138230)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4981)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Pilar apilado... -- 19/08/2018 - 07:04 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Pilar Apilado...

Terra do Humanista Artur Ramos, dos bagres, do bode Frederico e Cobra da Terra Nova.

A Cobra que mordera o Senador, vindo da Terra Nova no fogo morto, se alojou na praça Floriano Peixoto, nos lírios da cidade. Assustada, lá a serpente de ré na tinha do local, sossegou com o forró do Biu no senhor pescador que abraçara as canoas da Manguaba, a Lagoa do município. Nas festas e na valsa, Biu dançou com a serpente da Terra Nova. Um dia, a serpente calhou na sombra de um Murici após saciar seus desejos serpente e mordeu Benedito, Biu pé de forró “sem na dor”(leia-se senador na dor da mordida). Hoje, a serpente balança a bage no torrado torrão do apilador Pilar, morde e faz guizo com a cara de quem se meter a sabido.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui