Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
39 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59136 )

Cartas ( 21236)

Contos (13105)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46521)

Humor (19282)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138240)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Usina: - terapia ou terapêutica? -- 08/12/2003 - 16:08 (Georgina Albuquerque) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. Não podemos negar a função terapêutica da Usina de Letras. A sua proposta de entretenimento, estímulo à criatividade, empatia e reflexão podem vir a propiciar um grande avanço existencial. No entanto, em rápida passagem pelo site, li algo classificando-a como terapia.



Trata-se de um ledo engano!... Práticas terapêuticas, tais como caminhar, tocar um instrumento musical e participar numa comunidade de escritores como a nossa não substituem, em hipótese alguma, a demanda para um acompanhamento psicológico, psicanalítico ou psiquiátrico. Nesses casos, o melhor a fazer é procurar uma terapia com profissional competente...



Apresento a quem se equivoca (e insistentemente se degladia ávida e cruelmente com aquele que se permitir) um bom motivo para essa decisão: além das "benesses" que a redução do sofrimento psíquico acarretaria, permitiria a existência de um link facilitador para aqueles que buscam apenas distração e interação saudável.



Caso o argumento não baste, que se perceba a diferença entre um "chat" (tantos propícios para o desafogar de sentimentos agressivos e insistentemente neuróticos...) e a demanda dos milhares de escritores que, apesar de insatisfeitos e retirantes, não se manifestam. Muitos julgam que fazê-lo seria infrutífero, perante uma compulsão maníaco-obssessiva de provocação persistente, supostamente irônica e perversa.



A impressão que tenho é de que o alcance da Usina fica subestimado pela falsa impressão de que ela consiga atingir apenas meia dúzia de pessoas das quais supõe-se haver traçado um perfil de demanda. E é através do correio eletrônico e de contatos telefônicos que desenvolvem-se as apreciações "em off ". Explicita-se então o cansaço..."Que pena...a Usina...Era tão bom! Éramos felizes e não sabíamos!"



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui