Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
25 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57517 )
Cartas ( 21184)
Contos (12611)
Cordel (10179)
Crônicas (22288)
Discursos (3141)
Ensaios - (9089)
Erótico (13416)
Frases (44292)
Humor (18621)
Infantil (3907)
Infanto Juvenil (2852)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138244)
Redação (2947)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4986)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Paraibando -- 05/05/2018 - 08:34 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Paraibando

Eu, Bidião resolvi conhecer a Paróquia do Salve quem Puder lá pelas bandas da Paraíba. A cidade vivia um caos por falta d’água resultante de uma seca que já durava mais de trinta anos. Como eu conhecia o pároco que estudou comigo no seminário, resolvi colaborar com as atividades de arrecadação de donativos para os moradores necessitados. Conheci uma família que tinha 7 filhos e entre eles, havia um menino que fazia de todas as necessidades que enfrentava com os pais e irmãos, um repente. Era conhecido como o menino prodígio por sua maneira de converter a miséria à volta, em arte. Fui então conhecer o artista mirim que tratou de improvisar um repente tão de repente que emocionado fiquei. Era mais ou menos assim:

“ Ô Padre Bidião
O senhor tá vendo
Que aqui, fartura não há
A não ser que, algum irmão
Tipo o senhor Bidião
Venha cá nos dá
A enxada tá de férias
E da terra, nada brota
Agora senhor Bidião
Chega aqui
Abençoa com perdão
Essa gente sem um pão “

E assim me vi num mato sem cachorro ao ver o pequeno artista a dar-me um soco na boca do meu estômago oco e vazio da fome alheia. Segui então, colaborando e paraibando nas terras daquela gente com uma experiência de vida amarga, mas com a capacidade de converter de repente, tudo na arte do repente.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui