Usina de Letras
Usina de Letras
20 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61956 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22529)

Discursos (3235)

Ensaios - (10258)

Erótico (13560)

Frases (50363)

Humor (19994)

Infantil (5388)

Infanto Juvenil (4724)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140713)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->A NOVA DROGA -- 01/12/2017 - 01:11 (PAULO FONTENELLE DE ARAUJO) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos


Posso dizer que hoje foi estranho chegar neste apartamento de uma cidade violenta como o Rio de Janeiro e saber pelo noticiário, que a polícia de São Paulo matou um chefe do tráfico de drogas em certa região daquela cidade e os traficantes remanescentes obrigaram todo o comércio da região a fechar suas portas por um dia como luto pela morte do chefe. Mas o estranho é que, apesar do tal luto, os traficantes permitiram, que uma única padaria permanecesse aberta porque o pão francês não deveria faltar naquela comunidade.


Pensei que fosse uma consideração do tráfico à alimentação do povo. Pensei melhor e percebi não ser uma preocupação, mas tão somente o validamento da droga das drogas: o bromato de potássio que poderia ser misturado na fabricação do pão. Uma droga ilegal, sem nenhuma fiscalização e plenamente consumida.


Poucos traficantes percebem as padarias que poderiam ter nas mãos.


Depois conclui:


“Se os traficantes fossem donos do bromato, como os policiais fabricariam o seu bolo de restos mortais”?


Tive que escrever um obituário sobre restos mortais.


DO LIVRO: "TOUROS EM COPACABANA"


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui