Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
53 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57550 )
Cartas ( 21185)
Contos (12638)
Cordel (10186)
Crônicas (22292)
Discursos (3141)
Ensaios - (9093)
Erótico (13416)
Frases (44326)
Humor (18630)
Infantil (3915)
Infanto Juvenil (2861)
Letras de Música (5480)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138276)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4994)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Mundo -- 27/10/2017 - 09:09 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Mundo, que mundo é esse em que tudo é tão vulnerável e tão passageiro. Nada aqui é intenso, a não ser as ambições de ser e em tudo tirar vantagem. A efemeridade torna tudo tão superficial, sem intensidade ou razão de ser e o mundo vai cada vez mais regredindo e de volta à caverna, trancam-se sonhos e ilusões são sepultados. Poupa-se e preserva-se o vazio alienado na cultura da aparência sem cor, sem vida. O ideal, passa a ser pragmático no jogo de uma vivência surreal que faz a existência estar, e o ser fica preso ao eu no mais intenso e quase inatingível “poço” humano. Protegido pela rocha de visual, o “poço” passa então a agir sob pressão de ser cada vez mais enterrado ao centro do eu terra, nessa terra tão rica e tão pobre de gente ser. Compaixão e respeito embrutecem e a existência vai ficando vegetativa num processo de agonização por ausência de sentires.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui