Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
106 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57505 )
Cartas ( 21184)
Contos (12608)
Cordel (10177)
Crônicas (22283)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13416)
Frases (44277)
Humor (18618)
Infantil (3903)
Infanto Juvenil (2849)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138234)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4981)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Moral das Instituições: por onde andas? -- 19/10/2017 - 13:13 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Moral das instituições: por onde andas?

Um país tem sua governabilidade traçada por leis e é mapeada por instituições do próprio governo para assegurar a execução regimental. Por haver tantos paradoxos, temos presenciado não apenas a inversão de valores, como também uma cultura de desvirtuar o objeto de tais instituições. Subentende-se aqui que por trás de prédios tão suntuosos na arquitetura à Burle Marx, um desvio da conduta ética e moral vem ocorrendo sutilmente e de forma absurda. Todos os anos, o cidadão brasileiro tem a obrigação de contribuir junto ao Leão desdentado, parte dos proventos que assegurem o andamento dos serviços imprescindíveis ao desenvolvimento da nação e permita que os cidadãos tenham acesso a serviços de qualidade em todas as áreas. O que mais comumente se vê, graças a veiculação por meio da mídia, é o perdão de dívidas dos bancos ou mesmo sonegação de impostos por parte de uma minoria sem justificativa. Além do mais, instituições que deveriam permitir a aplicabilidade das leis, ou se omitem ou deixam de executar ou, ainda mais agravante, delegam a decisão final a outros setores sem a devida moral para julgamentos das decisões já declaradas por Órgãos Supremos da Lei. Estamos navegando sem rumo, com inversão de valores acentuados e expostos a visão de todos, onde reina a hipocrisia de não se enxergar o afundamento da embarcação prestes a desaparecer no oceano da cidadania.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui