Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
88 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57497 )
Cartas ( 21184)
Contos (12607)
Cordel (10175)
Crônicas (22280)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13415)
Frases (44274)
Humor (18616)
Infantil (3901)
Infanto Juvenil (2847)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138230)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4980)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Rio seco -- 13/10/2017 - 14:12 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Rio seco


Ali havia um rio bem antes do homem que ali se instalou e seu curso alterou. Nele costumava haver peixes a nadar no sentido da correnteza com destreza. Dali, saia o peixe nosso de cada dia, mas o rio secou e a terra veio à superfície. O sertanejo encarou a nova paisagem e ficou a imaginar o que antes havia. Se viu vulnerável e presenciou o gato do mato vindo em sua direção com muita sede. O animal, levantou a cabeça com a boca aberta e sem forças, resolveu sentar e olhar o mesmo cenário. Olhar perdido dos dois seres que não tinham mais o que fazer a não ser, procurar outras margens mais acolhedoras. O choque ambiental pertencia mais ao animal, pois o sertanejo por isso já esperava. Pegou então a enxada e começou a trabalhar a terra na esperança de que a natureza não o decepcionasse na espera pela chuva. Ela não o decepcionou e fez cair sobre a terra arada a tão desejada chuva que misturou-se às lágrimas de alegria do homem esperança.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui