Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
103 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57376 )
Cartas ( 21181)
Contos (12603)
Cordel (10138)
Crônicas (22259)
Discursos (3139)
Ensaios - (9064)
Erótico (13414)
Frases (44132)
Humor (18585)
Infantil (3846)
Infanto Juvenil (2802)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138545)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4944)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Humor-->CUIDANDO DAS SUAS PATAS... -- 04/10/2009 - 11:47 (GERMANO CORREIA DA SILVA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
CUIDANDO DAS SUAS PATAS...
(Por Germano Correia ds Silva)


Era uma vez um pato alienígena que apareceu com uma pata machucada, andando de muletas, nas imediações de um criadouro controlado por patos terráqueos.

Esse pato confessou que lá no seu lugar de origem não havia boas condições de tratamento para as patas machucadas e em situações similares à que ora estava vivendo costumava andar se apoiando apenas numa de suas patas.

- Lá onde eu vivia era comum observar um grupo de patas meio machucadas sendo tratadas com muita dedicação por outras patas que eram orientadas diuturnamente pelo pato-chefe, mas nenhuma delas era indicada para servir de apoio para um pato - confessou.

Se por um lado o pato-chefe procurava se esforçar para manter essas patas em perfeitas condições de saúde visando ao tratamento de algumas patas rotas, a qualquer momento poderiam aparecer outras patas machucadas que também precisavam ser tratadas urgentemente, mesmo que fosse por outras patas indicadas pelo “manda-chuva” do pato-chefe que coordenava com patas de ferro os trabalhos patológicos em outros criadouros.

- Ficar sem minhas patas em perfeitas condições de locomoção é um verdadeiro tormento. Elas são de extrema importância no corre-corre que eu irei viver lá em Patolândia - comentou esse pato que antes andava às voltas com uma pata doente.

Analisando bem o comentário feito por ele, a sua idéia é bastante coerente. O ideal seria que, além de sua pata, muitas outras patas estivessem em perfeitas condições de locomoção, desonerando em muito as obrigações patológicas do pato-chefe.

Desta forma, em se considerando que qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença denomina-se patologia, o drama vivido por esse pato alienígena e pelo seu pato-chefe é de cunho eminentemente patológico.

Desta forma e patologicamente falando, já ficou mais que provado que tanto lá em Patolândia quanto em qualquer lugar do mundo é muito difícil um pato viver e aumentar a sua prole sem a participação efetiva de suas patas.

Quanto ao seu estado de saúde, machucadas ou não, sempre deverá haver alguém indicado pelo pato-chefe para cuidar delas, caso contrário nem ele poderá levar uma vida normal sem ter suas patas em perfeitas condições de uso.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 15Exibido 455 vezesFale com o autor