Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
106 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57535 )
Cartas ( 21185)
Contos (12631)
Cordel (10185)
Crônicas (22291)
Discursos (3141)
Ensaios - (9093)
Erótico (13416)
Frases (44315)
Humor (18629)
Infantil (3912)
Infanto Juvenil (2858)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138263)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4990)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->O papagaio poeticamente margeado -- 11/04/2017 - 09:05 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O papagaio poeticamente margeado

O papa do gaio na vitrine soava repetidamente a poesia que no bico afiado, vivificava cada palavra. A língua do Psittacidae é a mais viva do que a dos imortais das letradas academias, pois pertence a naturalidade do ser sem necessitar de cadeira ou chá para iniciar qualquer atividade literária. Não gosta da algazarra que os louros provocam na vaidade. Sempre observando o ir e o vir dos transeuntes, capta cada imagem como um fotógrafo e adequa à visão surreal que tem a respeito do real que desfila por entres os holofotes do ego. Tem um saber poético que a tudo poetiza de forma que os mais variados assuntos se tornam imensamente provocantes a reflexão por fugirem à mesmice da regra geral poética, enaltecendo a especial que revela a beleza por não ser generalizada.
O papagaio então, na poesia de sua existência não abre mão da autenticidade de somente ser, inspirar e expirar a poesia do sentir em cada palavra.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui