Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
100 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57924 )
Cartas ( 21204)
Contos (12788)
Cordel (10233)
Crônicas (22049)
Discursos (3145)
Ensaios - (9188)
Erótico (13446)
Frases (45002)
Humor (18864)
Infantil (4083)
Infanto Juvenil (3105)
Letras de Música (5496)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138506)
Redação (2982)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2415)
Textos Jurídicos (1932)
Textos Religiosos/Sermões (5174)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->O teatro -- 19/03/2017 - 07:05 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Na peça do meu teatro não haveria barulho, mas tão somente o silêncio das vozes sem voz. Pura voz, amarga no caldo das palavras ditas sobre um papel que fala e escuta o silêncio noturno das estranhas criaturas devoradas pelo criador. Criado mudo vive a falar sem nada a dizer visto que pelo que disse, não ousa conviver ou incomodar. Vegeta sobre a vegetação a que tem direito não sendo o dono do verde que passeia sobre córregos e rios sem nada a declarar. Segue o fluxo sem contemplar as paragens naturais ou de gente disfarçadas que pecam sem pecar, vive sem viver e morre sem nunca ter nascido.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui