Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
100 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57550 )
Cartas ( 21185)
Contos (12637)
Cordel (10186)
Crônicas (22292)
Discursos (3141)
Ensaios - (9093)
Erótico (13416)
Frases (44326)
Humor (18630)
Infantil (3915)
Infanto Juvenil (2861)
Letras de Música (5480)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138276)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4994)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->O vinho -- 18/03/2017 - 14:57 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Esculpistes minha caverna de luz, deste-me vida quando já não conseguia ver o afeto do Sol sobre a Terra menina acuada como fera ferida e indomável a fugir de si ao nada. Teus beijos suavemente por todo o meu corpo, curavam dores e aquietavam meu ser. Entraste e sentaste à mesa que nada tinha a servir, não fosse o cálice nosso repleto de vinho. Adentraste e nunca mais sairás daquilo que um dia abortava o amor pagão sem batismo. Me batizasse com o cálice vertido do meu vinho e que sempre nutrirá o nosso gozo de tanto amor.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui