Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
100 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57492 )
Cartas ( 21184)
Contos (12620)
Cordel (10174)
Crônicas (22282)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13415)
Frases (44271)
Humor (18617)
Infantil (3899)
Infanto Juvenil (2844)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138240)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4979)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->No meu sertão -- 13/02/2017 - 13:38 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
No meu sertão

Quando menino, adorava andar em carro de boi e amava ouvir aquele som das rodas. À frente iam quatro animais. O tempo que levava era de hora e meia até encontrar um açude que pudesse encher os baldes de água e depois dar início a disputa do melhor nado. A criançada ficava eufórica e eu, mais ainda. Quando dava a hora para retornar, pegávamos uma estrada de barro que dava acesso a uma estação de trem, nossa segunda parada de alegria. Subíamos os vagões para experimentar o melado que escorria das brechas enferrujadas. Era uma delícia! Depois de nós empanturrarmos, subíamos novamente no carro de boi e seguíamos cantando Asa Branca. Já em casa, levávamos os baldes até o quintal para onde seriam as roupas lavadas.
À noite, na hora do jantar havia cuscuz, tapioca bem quentinhos e depois vinha a hora de agradecer o pão e o dom da vida no meu sertão.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui