Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
9 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57504 )
Cartas ( 21184)
Contos (12607)
Cordel (10177)
Crônicas (22282)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13416)
Frases (44276)
Humor (18618)
Infantil (3903)
Infanto Juvenil (2848)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138230)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4981)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Modismos -- 12/02/2017 - 15:31 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
No país dos modismos, no qual se discutem assuntos polêmicos que deveriam ser tratados com bom senso, pois cada caso é um caso, sem generalizar e estabelecer como padrão único, determinados hábitos de vida, que correm o risco de definir o comportamento geral de um povo e nação, estamos vivendo um momento em que assistimos a vários escândalos por corrupção.
Questões de abortar ou não o uso da lactose, desde que não se deixe de mamar no palácio, a ciência afirma ser a lactose o grande vilão. E agora seu doutô, o velho Pernambuco bate o tambor no galo da madrugada. Alagoas atiça o pinto no angú da menina Jatiúca. Podemos mamar ou não? Floriano no martírio dele, na praça com a carcaça de aço e os pés de argila a vista de um "polvo"que passa a vida reina.
O gogó tá na ema da Ponta Verde da rapaziada nos blocos da rola cansada. Ai seu "doutô", quero mamar na viúva Caeté que assopra na porta do bandejão. Quando o Frevo começar no Coité até peru toma gogó. Ai seu "doutô" quero mamar... Mas antes, quero liquidificar e o que sair, é Freve meu bem!
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui