Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
131 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57036 )
Cartas ( 21169)
Contos (12598)
Cordel (10077)
Crônicas (22200)
Discursos (3134)
Ensaios - (8999)
Erótico (13395)
Frases (43634)
Humor (18454)
Infantil (3772)
Infanto Juvenil (2687)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138231)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4851)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Humor-->TABACO SEM FREIO -- 11/07/2009 - 22:33 (GERMANO CORREIA DA SILVA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
TABACO SEM FREIO
(Por Germano Correia da Silva)


Zé Velho aprendeu a fumar muito cedo. O pai dele, um fumante inveterado, o incentivou bastante desde o seu tempo de menino.

Ele começou sua trajetória de fumante consumindo um maço de cigarros por semana. Gostou tanto da idéia que após a constante convivência com algumas rodas de amigos fumantes passou a consumir dois maços por dia.

Fumou parte de sua vida e quando ninguém mais esperava que ele fosse abandonar o vício, ele decidiu parar.

Morreu aos 90 anos de idade, mas um mês antes de morrer ele contou um fato bastante curioso ocorrido na sua comunidade, envolvendo o tabagismo.

Ele disse que ali na sua comunidade todas as crianças e jovens do sexo masculino eram incentivados pelos seus próprios pais e responsáveis a fumar desde muito cedo.

As meninas não podiam fazer parte desse grupo de fedelhos fumantes sob pena de serem amaldiçoadas.

Segundo ele, aquilo era uma forma de iniciação eminentemente machista visando à preparação da molecada antes de ingressar na idade adulta. Era uma espécie de rotina cultural daquele lugar.

- Os meninos e os homens feitos se sentiam mais viris, mais machos, quando estavam com um cigarro no bico – pilheriou.

Ele contou que certo dia, sem que os homens soubessem da aparição daquele levante, as mulheres se revoltaram e foram protestar nas poucas ruas do vilarejo.

Empunhando bandeiras e cartazes antitabagistas elas marcharam, por fim, rumo à delegacia de polícia local.

A intenção era pressionar o “Seu Delegado” e chamar a atenção das demais autoridades da comunidade.

Pediam a adoção de algumas providências urgentes, pois estavam notando que a maioria dos homens daquela região estava preferindo o tabaco a suas mulheres, causando uma verdadeira desarmonia conjugal.

Desconfiavam que aquele “desinteresse” fosse por causa da inalação constante da fumaça de tabaco e afirmavam que aquela situação estava precisando de um freio.

Na verdade, o que elas queriam mesmo era pôr um fim naquele vício que há muito tempo apenas os homens podiam participar.

Chegando à delegacia elas foram impedidas de falar com o “Seu Delegado”, porque ele não entendeu ao certo o que elas queriam. Para não deixá-las, ao menos, sem uma resposta, ele expediu um ofício para a líder do movimento com o seguinte teor:

- Na qualidade de autoridade local, eu gostaria de pôr um freio na boca dos homens que usam e abusam de tabaco desde muito cedo nessa comunidade, mas isso irá depender da participação efetiva de todas as mulheres, principalmente das casadas.

As mulheres entenderam a mensagem do “Seu Delegado” como um insulto e decidiram invadir a delegacia em busca de maiores esclarecimentos.

O “Seu Delegado” ficou furioso com aquele desacato à sua “autoridade” e chegou a pensar em dar voz de prisão a todas elas. Como a delegacia só possuía duas celas ele logo mudou de idéia.

Chamou os três únicos soldados que faziam parte do seu destacamento e transmitiu-lhes a seguinte ordem:

- Doravante, eu quero que mantenham a ordem nesta comunidade. Providenciem o indiciamento de todos os homens que fazem uso de tabaco de forma desenfreada e as mulheres revoltadas também.

- Chega de tabaco sem freio – esbravejou.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui