Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
107 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57517 )
Cartas ( 21184)
Contos (12611)
Cordel (10179)
Crônicas (22288)
Discursos (3141)
Ensaios - (9089)
Erótico (13416)
Frases (44292)
Humor (18621)
Infantil (3907)
Infanto Juvenil (2852)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138244)
Redação (2947)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4986)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->O banco da vida efêmera -- 19/11/2016 - 11:13 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O banco da vida efêmera

Na dualidade de viver, vive-se o real efêmero e o sonhado eterno. Não há juros, ou taxas de qualquer valor no que eterniza-se. Vive-se e se sobrepõe ao efêmero que massageia ao ego das vaidades ou necessidades. Nele, as ideias passeiam livremente das burocracias dos custos adicionais de qualquer obrigatoriedade sem aniquilar as dívidas cobradas per si e em si. Ali, senta-se sem desembolsar o que não se tem. Respira e aprecia a efemeridade em volta sem inebriar-se. Levita na paisagem acolhedora sem discriminação ou preconceito. Não necessita de explicação. Apenas uma boa dose de humor e bem estar, já proporciona um diálogo entre o Deus acima de todas as sapiências e a semente para enfim, germinar. Germinar, sem macular, germinar para transpor a efemeridade da passagem que passeia sem pedir licença ao banco da vida.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui