Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
97 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57493 )
Cartas ( 21184)
Contos (12620)
Cordel (10174)
Crônicas (22282)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13415)
Frases (44271)
Humor (18617)
Infantil (3899)
Infanto Juvenil (2844)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138240)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4979)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Entendendo a filosofia bidiônica -- 14/11/2016 - 10:42 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Entendendo a filosofia bidiônica


Contradizendo todo o propósito da filosofia clássica, a bidiônica empresta o bummmmmm do artefato do Oriente para explodir o caos de uma filosofia cujo espermatozoide de Salomão deu origem a Bidião. Não é pretensão minha fazer parte da Academia Ilustrativa da Filosofia Clássica que acomoda os pensamentos aceitos pelos mais ilustres teóricos do assunto. Bidião tenta organizar contrapondo-se a ideia da normalidade "normatizada" que permeia a linha freudiana e kantica. Vivo contra a maré e nado a favor do que provoca e instiga o raciocínio dos fatos aceitos e não questionados. A Bíblia que atualmente estou a escrever, pretende ser apenas um luz que levará o fiel leitor a indagar sobre si e sobre a sociedade do qual faz parte. Como tudo é relativo, cada um tem a sociedade que gosta ou mesmo vive na obrigação pelas regras impostas( sem questionamentos). Sou proveniente de um espermatozoide que adentrou nas entranhas ovulares de uma virgem que, ao ver Salomão pescando salmão nas águas libanesas, encantou-se. A partir daí, subiu a montanha e quebrou todos os paradigmas da constelação de Moisés, cara espertinho que através de uma convocação do além, "recebeu" a orientação de que deveria seguir com todos os hebreus para a Terra Prometida, dentro das regras do qual se dizia ser o "portador".
Bom, mas retornando ao meu propósito de filosofia bidiônica, recebo orientação vindas das tábuas do além, que o pecado é uma instituição que controla os lucros de entidades que pregam: " façam o que digo mas não faça o que faço." O pecado também foi imputado a um homem da Galiléia pelo simples fato de acolher a Madalena presente em todas as Madalenas que habitam na santa morada de paróquias de diversas crenças. Então, o pecado para existir pode ser materializado ou não de acordo com a filosofia da simplicidade bidiônica. O pecador é sempre a matéria no qual habitam os desejos mais íntimos nunca mencionados. E daí tem-se o pecador santificado por instituições religiosas regadas a banheiras de ouro ou terras de movimentos da fé inabalável nas irmandades de concreto. Sou a antítese do que aí está e diga-se de passagem, sou livre de todas as regras impostas na "sacra escritura" elaborado por outro ser que assim como eu, é portador da genética do pecado de Adão e Eva.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui