Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
122 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57535 )
Cartas ( 21185)
Contos (12631)
Cordel (10185)
Crônicas (22291)
Discursos (3141)
Ensaios - (9093)
Erótico (13416)
Frases (44315)
Humor (18629)
Infantil (3912)
Infanto Juvenil (2858)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138263)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4990)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Alegria surda -- 12/11/2016 - 17:20 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Alegria surda da veia nos domingos na praça armada com a sobrinha... Blá blá blá...Saudades,saudades, Saudades da velha da praça da Alegria que até precisamos representá-la em momentos políticos na política da terra do meu Pilar apilado que Bode dera...


Hoje acordei com saudade daquele tempo em que tínhamos programas inocentes de humor genuíno. Eu gostava muito do programa A praça da Alegria. Nós, telespectadores ríamos sempre através das piadas com a graça pura e convidativa do enredo dos humoristas. Manoel da Nóbrega, Carlos Alberto da Nóbrega, Oscarito, Grande Otelo, Costinha, sem esquecer a que mais me fazia rir, a velha surda da praça da alegria, interpretada pelo saudoso Rony Rios.
Humoristas de criatividade ímpar, faziam das situações mais simples, um motivo de piada. Na verdade, tínhamos um teatro televisivo à nossa disposição e por isso me pego vez em quando a lembrar daquele tempo, tão contemporâneo. O humor estava além do tempo. A velha surda, me inspira até hoje, onde a surdez de sentido ambíguo torna possível encarar a piada real da vida em todos os sentidos. Principalmente, no mundo político e fico a imaginar a velha surda sentada na praça do meu Pilar apilado a ouvir tantas conversas de frequentadores a respeito de candidatos. Seria hilário a presença dos atores reais a discutir tais questões ao lado dela e ouvir o ecôo da voz surreal. Saudades, saudades, saudades... Sempre presente e tão atual.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui