Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
87 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57516 )
Cartas ( 21184)
Contos (12609)
Cordel (10179)
Crônicas (22288)
Discursos (3141)
Ensaios - (9089)
Erótico (13416)
Frases (44291)
Humor (18621)
Infantil (3907)
Infanto Juvenil (2852)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138244)
Redação (2947)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4986)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->A sensibilidade -- 12/11/2016 - 16:04 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Não sabia de nada, mas tudo sentia. Por ser sensível, não permitia ir além da condição de exposição a que o sensível não consegue se garantir. Toda a sua vida sabia apenas o que lhe era permitido e não podia ter a ousadia do dar-se apenas por dar, pois fora iniciada num num momento divino que deveria ser respeitado. Do amor, uma passividade permeava suas ações tímidas e firmes. Pensava em ser feliz e livre, sem a nada transgredir e assim, no íntimo ser e sentir. É fera indomável e arisca, desconfiada.... Mas ansiava sempre a assistir o nascer do sol à porta da caverna escura, fechada e inóspita. Os caminhos que para lá levavam eram íngremes de mata densa com pouco espaço a luminosidade do instante mágico tão cobiçado por seres sedentos de comunhão espiritual.
Conseguiu sair, mas estava assustada com tanta luz que tinha receio de perder a visão. O eco de seus grunhidos não permitiam retorno dos seus mais nobres sentimentos. Se doava porque sentia e sentia porque viva ali estava.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui