Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
220 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58108 )
Cartas ( 21211)
Contos (12845)
Cordel (10239)
Crônicas (22073)
Discursos (3147)
Ensaios - (9222)
Erótico (13451)
Frases (45253)
Humor (18925)
Infantil (4144)
Infanto Juvenil (3225)
Letras de Música (5504)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138682)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5245)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->Banco do Brasil (*) -- 08/01/2008 - 14:06 (Benedito Pereira da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Banco do Brasil (*)


Brasília, 21 de julho de 1966.


Ilmo Sr.
Gerente da Agência Metropolitana Sula
Do Banco do Brasil S/A

Prezado senhor:

Sirvo-me desta para lhe comunicar que os títulos de emissão de Boa Leitura S/A, com as seguintes características:
AI 300/89885 vencimento 30/11/65, duplicata nº132/65 C;
AI 300/89674 vencimento 30/12/65, duplicata nº132/65 D;
AI 300/8269 vencimento 30/04/66, duplicata nº132/65 H;
AI 300/11865 vencimento 30/05/66, duplicata nº132/65 I, os quais, estando com ordem de protesto autorizado pela Firma — Boa Leitura Editora S/ª, — não passam de mera falta de atenção da referida Firma, que, não tendo um mínimo de responsabilidade para com o bom nome do cliente, joga com o nome do mesmo, colocando-o em situações embaraçadíssimas, como esta a que esta me acontecendo. Ressalto, ainda, que, morando em Brasília há nove anos, nunca tive a necessidade de deixar de pagar uma dívida, graças a Deus sempre mantive o meu nome LIMPO aqui, e, espero que, por causa de uma Casa como esta não é que vou suja-lo.
Senhor gerente, não devo esses títulos nem devo quaisquer títulos da série dos mesmos; para provar-lhe que os não evo, comprovo, aqui, com os seguintes documentos:
A) EXPLICAÇÂO: Eu, Benedito Pereira da Costa, residente à SQ 102, loja 7, em Brasília-DF., havia camprado 2 coleções de livros Biblioteca da Língua Portuguesa com 8 volumes cada um, no valor de CR$ 168.000 (cento e sessenta e oito mil cruzeiros) — preço das duas COLEÇÔES —, sob Nota Fiscal nº 12.895, datada de 5/8/65, que, alias demorou muitíssimo a chegar, e, quando chegaram, devolvi uma delas ao Dr. Dicesar de Paula Rosa, que, a mim me dera um comprovante de devolução o prometera fazer um Novo Faturamento, isto e, de uma coleção apenas. Nunca fizeram-no. Esperei, aproximadamente 8 meses, e nada, e nada fizeram. Irado por isso, (recebia constantemente avisos Bancários), resolvi que devolveria a outra Coleção. Pedi à Boa Leitura Editora S/A, que me enviasse uma carta autorizando a devolução da mesma, até então, único e exclusivo débito meu para com Ela. Assim foi feito. Remetera-me a autorização; devolvi a coleção, isto é, a Coleção que era o único débito meu para referida Firma, e, isto mediante documento comprobatório da devolução assinada pelo seu autorizado (isto e, pelo Sr. Milton Barreira Reis, autorizado pela referida EDITORA a receber-la.
B) COMPROVANTES, DE QUE NADA DEVO (SEQUER) A ESTA FIRMA: LEITURA, EDITORA S/ª
1 - Fotocópia autenticada da Nota Fiscal, que, datada de 5/8/65 é assinada por Dicesar de Paula Rosa, comprovando a devolução de uma Coleção no dia da entrega das mesmas, o referido senhor assinou-a como prova da devolução;
2 - Fotocópia autenticada da devolução de uma Coleção — desta que fora devolvida ao Sr. Dicesar —, que, como medida de precaução, reconheço a Firma;
3 - Fotocópia autenticada da autorização que Boa Leitura Editora S/A, a qual foi enviada a fim de que eu devolvesse a outra COLEÇÃO (único e exclusivo debito meu para com ELA), além disso, o seu autorizado a recebe-la Sr. Milton Barreira Reis assinou-a declarando, digo declarando o recebimento da mesma;
4 - Fotocópia autenticada da devolução, feita por mim, ao Sr. Milton Barreira Reis, da referida Coleção. Como medida, de precaução, este documento, de Vital Importância, frias nas suas ultimas linhas, que nada devo a Boa Leitura Editora S/ª, quer em Carteira de Cobrança quer em Agências Bancárias.
Como o senhor vê, prezado senhor gerente, graças a Deus, não devo nada a Esta Firma. O melhor comprovante de que não devo o senhor em tem suas mãos, pois são eles, as FOTOCOPIAS AUTENTICADAS das devoluções ect.
Espero e confio no bem conceituado nome Desta Grande Empresa, o Banco do Brasil S/A, que, não tem somente um homem de responsabilidade na sua Gerencia, mas como também uma equipe de funcionários que consagraram e que lutam para consagrar ainda mais o nome deste estabelecimento bancário. Confio na justiça desta empresa — o Banco do Brasil S/A — e espero que o meu caso seja assim, por este estabelecimento, resolvido.
Mais uma vez friso que nada devo a essa Firma Boa Leitura Editora S/A, e, o comprovo com os documentos que estou anexando.
Sendo só o que me apresenta para o momento, aproveito para enviar ao banco do Brasil S/A, os meus protestos de elevada estima e consideração.

Atenciosamente,

Benedito Pereira da Costa


__________
(*) Brasília, DFf, 21/07/1966.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 24Exibido 797 vezesFale com o autor