Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
249 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58117 )
Cartas ( 21211)
Contos (12849)
Cordel (10239)
Crônicas (22074)
Discursos (3147)
Ensaios - (9222)
Erótico (13451)
Frases (45259)
Humor (18931)
Infantil (4146)
Infanto Juvenil (3227)
Letras de Música (5505)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138693)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1057)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5245)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->Jorge 2 (*) -- 28/12/2007 - 17:54 (Benedito Pereira da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Jorge 2 (*)


Parabéns!


Muito bem escrita e criativa, de tal modo que nos prende à trama e nos convida a seguir na leitura com avidez para encontrar o desfecho da malograda interpretação lotérica do pobre do Felício (que continuou mais pobre do que nunca, depois de sua azáfama para receber o sonhado prêmio, infelizmente frustrado pela sua errônea combinação dos números).


E essa frustração é fatal, pois, como na vida real, o traz de volta, em poucos minutos, do paraíso da quimera riqueza à realidade da rotina que o torna infeliz.


Tanto é assim que o quixotesco Felício correu com o máximo vigor de suas frágeis pernas (imagino) para receber o sonhado prêmio que o libertaria dos panos e rodos diários.


Qual nada, volta, de cabeça baixa suponho, envergonhado e humilhado, motivo talvez de galhofa, a sofrer o rigor do dia-a-dia sem futuro, distante da opulência que por pouco não bateu a sua porta.



Os sonhos, portanto, são os grandes libertadores da alma. A pressa não é boa conselheira, por vezes, e a utopia não é nada mais que razão para encontrarmos forças para desafiar a vida e conquistar os sonhos impossíveis.


Pobre Felício, pobre de nós.


_________
(*) Jorge Dantas Dias, meu amigo, pioneiro, engenheiro e intelectual. Por ocasião de crítica à minha crônica "Azáfama".

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 24Exibido 704 vezesFale com o autor