Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
88 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57377 )
Cartas ( 21181)
Contos (12602)
Cordel (10138)
Crônicas (22257)
Discursos (3139)
Ensaios - (9064)
Erótico (13414)
Frases (44132)
Humor (18585)
Infantil (3846)
Infanto Juvenil (2802)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138545)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4944)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->Cachaça (*) -- 18/12/2007 - 15:04 (Benedito Pereira da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Cachaça (*)


Companheiro querido


BENEDITO PEREIRA DA COSTA


Saudações


Querido amigo, obrigado pela resposta. Do mesmo jeito, também, desde que nasci, nunca tomei nada alcoólico; parece incrível, mas, não sei o gosto da cerveja, do vinho, de licores, e até um bombom que tenha gosto de licor, não como.


Não sei o que aconteceu...


Nos primórdios de minha infância e não é porque tenha experimentado e não gostei (e,

quando falo isso, muita gente não acredita), como também não fumo.



Lembrei-me de algo que li (ocorreu nos USA): as empresas de cigarros estavam em crise porque a propaganda contra ele era intensa, e as vendas decaíram.


Fato semelhante ocorria com a comercialização de bebidas. Reuniram-se, então, os fabricantes e propuseram que todos deviam dar uma idéia da contrapropaganda.


Alguém disse: "já sei! No Texas, há um velhinho que tem 120 anos bebe muito e fuma 4 maços de cigarros por dia.


Isso logo foi aprovado e mandaram o cidadão ao Texas contratar o sujeito: ofereceram-lhe 5 milhões de dólares para falar na Televisão
que tinha 120 anos de idade, fumava 4 maços de cigarros diariamente há 90 anos e que bebia para valer.


O tal cidadão respondeu: "Qual o horário para aparecer na TV?"


Respondeu-lhe o emissário: "As 10 horas da manhã".


E o velhinho argumentou: "Nesse horário, não posso porque passo a manhã inteira tossindo e caindo pelas beiradas".



Obrigado, meu caro, pela paciência com este seu amigo.



Um abração,



A D R I A N O


________
(*) Brasília, DF, 18/12/2007. Por ocasião da mensagem sobre a origem da cachaça, transmitida pelo Dr. Adriano Augusto da Costa Filho, meu confrade e colega do Movimento Poético Nacional, São Paulo (SP), muito clara e entusiasmente, a qual apreciei e respondi:

Obrigado, Dr. Adriano. Embora não beba nem cerveja, tenho muitos poemas em que falo da cachaça.

Com a estima e o abraço do Benedito













Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 24Exibido 636 vezesFale com o autor