Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
206 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58670 )
Cartas ( 21224)
Contos (12992)
Cordel (10256)
Crônicas (22148)
Discursos (3159)
Ensaios - (9331)
Erótico (13465)
Frases (45873)
Humor (19089)
Infantil (4324)
Infanto Juvenil (3488)
Letras de Música (5465)
Peça de Teatro (1335)
Poesias (137930)
Redação (3031)
Roteiro de Filme ou Novela (1059)
Teses / Monologos (2423)
Textos Jurídicos (1940)
Textos Religiosos/Sermões (5387)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->CARTAS DE AMOR VERDADEIRAS. -- 02/12/2007 - 09:44 (getulio silva) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

CARTAS DE AMOR VERDADEIRAS



Quisera estar escrevendo cartas de amor como antigamente, com a caneta tinteiro de bico-de-pena, onde as letras saiam desenhadas e a caligrafia ora, elegante e nobre, deixava no papel o espírito tranqüilo e ora, uma grafia trêmula, mostrando o estado de ansiedade ou nervosismo de quem as escrevia. Eram essas cartas que expressavam o sentimento momentâneo da escrita e ao lê-las sentíamos a emoção do remetente por ocasião da escrita. São essas cartas de amor das quais eu que tenho saudades!
Ah! Como era bom receber essas cartas... Com envelopes cheios de selos e a gente com aquele cuidado ao abri-las para não danificar o conteúdo importante de notícias, decisões, relatos e declarações de amor. Essas cartas sim eram verdadeiros discursos amorosos, onde o ser amado derramava gotas de seus sentimentos ao outro... Quando escritas com elegância, as palavras saiam plenas e limpas mostrando assim, um espírito calmo no momento da escrita. E quando, escritas com impaciência, a grafia não ficava harmônica, os borrões de tinta azul, pareciam denunciar uma angústia pela distância, ou às vezes, que foram lágrimas derramadas pelo ser amado ao redigi-las.
Essas cartas traziam o cheiro da pessoa, muitas até com o perfume do remetente, para que o destinatário sentisse a proximidade ou intimidade de quem lhes escrevia... E eram cartas de amor verdadeiras, escritas assim:

São Paulo, em 23 de novembro de 2.007




Meu inesquecível Amor,


Meu coração clama pela emoção de estar perto de ti, mas a
distância me faz pensar a cada segundo o quanto te amo. É assim, que tenho a certeza do imenso amor que sinto... A cada reencontro nosso, volto com o coração partido, pois a saudade dói demais quando estou longe de ti meu Amor.
Quando lhe conheci eu pensava que, só iria ser um amor de férias, verão ou primavera. E o tempo foi passando... Várias cartas foram trocadas e aí, senti que já não era dono do meu próprio coração e que, nele havia deixado entrar um anjo que é você!
Quero que saibas que você é o meu viver, minha luz e o meu inesquecível amor. Amo-te como ninguém nuca lhe amou e agora, sinto que o meu corpo necessita do teu corpo e por isso peço-lhe que se case comigo, pois só assim, seremos corpo, alma e coração.
Esperando respostas suas, aguardo ansiosamente.
Beijos de saudades!



Getúlio Silva

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui