Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
112 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57032 )
Cartas ( 21169)
Contos (12596)
Cordel (10075)
Crônicas (22194)
Discursos (3134)
Ensaios - (8999)
Erótico (13394)
Frases (43630)
Humor (18451)
Infantil (3772)
Infanto Juvenil (2683)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138226)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4849)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->ORIGEM E FUNDAMENTOS DA ASTROLOGIA -- 26/08/2003 - 13:14 (ANTICRISTO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos



Há alguns milênios antes da Era Cristã, antigos caldeus, já com um conhecimento astronômico bastante avançado para aqueles tempos, conseguiram distinguir das estrelas sete componentes do Sistema Solar. Sol, Mercúrio, Vênus, Lua, Marte, Júpiter e Saturno. A esses astros foram dados nomes de deuses que eles adoravam; e os astros foram tidos como governantes das vidas humanas. Aí surgiu a Astrologia, estudo da influência dos astros. Entretanto, está cada vez mais desacreditada.



Foram eles, os caldeus, os criadores das medidas do tempo: ano, mês, semana, dia, hora. A semana foi uma homenagem aos sete astros. Sorte nossa que eles não avistaram Urano, Netuno e Plutão. Se tivessem visto, nós teríamos hoje menos dias de repouso.



Observando a posição aparente do Sol durante a translação da Terra, criaram o ano. Como o ano quase coincide com doze revoluções lunares, criaram o mês, baseado na lua; posteriormente, para não haver anos com trezes meses para ajuste com a Lua, é que os meses foram desvinculados da lunação. Como os signos são doze e os astros então conhecidos eram sete, quase todos os planetas ficaram com dois signos, com exceção da Lua e do Sol. A Mercúrio coube gêmeos e virgem; a Vênus, touro e libra, a Marte, áries e escorpião; a Júpiter, sagitário e peixes; a Saturno, capricórnio e aquário. Só nos últimos séculos, com as descobertas de outros planetas, Saturno perdeu aquário para Urano, e Júpiter perdeu Peixes para Netuno. Nessa linha de raciocínio, Marte deveria perder área para Plutão, o que não foi feito, talvez porque até o mês do signo de áries foi dedicado a Marte (martius=março). Os outros meses foram dedicados alguns a deuses que nada tinham a ver com os planetas regentes dos signos.





SIMBOLISMO PLANETÁRIO



Como toda essa criação, os caldeus atribuíram aos planetas as seguintes características:



* Sol: vontade criadora, ação, senso de integridade pessoal, impulso maior de realização, espírito. O pai, o marido no seu aspecto de comandante, o chefe. O coração, a visão.



* Lua: sensibilidade para com o meio-ambiente, senso de sobrevivência, alimentação, corpo. A mãe, a esposa no seu aspecto de suporte. Também o passado e os distúrbios funcionais orgânicos.



* Mercúrio: funcionamento da mente, raciocínio, destreza manual, capacidade de expressão. Pequenas viagens. Os irmãos, mas também o médico, o remédio, o astrólogo, a forma de estudar e aprender.



* Vênus: gostos, atratibilidade, amor abnegado, senso de beleza, valores pessoais, luxo, conforto, sensualidade, senso estético, harmonia, ritmo. As artes. Figuras femininas: a mãe em seu aspecto de valorização da beleza física e hábitos sociais, a amante, a irmã. A garganta, os rins.



* Marte: impulso de auto-afirmação, senso de identidade, combatividade, sexualidade. A espada, que separa e corta. O marido no seu aspecto de amante, o rival em uma guerra ou nos negócios, o cirugião, a luta pela carreira. A guerra. O sangue e os músculos. Orgãos sexuais e reprodutores.



* Júpiter: expansão, sentido de vida, capacidade de síntese, bens e prestígio, sorte, crescimento, otimismo. Os avós, a autoridade espiritual que se segue, a justiça protetora. A graça divina. O fígado.



* Saturno: senso de limite, a disciplina, sentido do dever, a função social, os medos. A justiça punitiva, a polícia, o fisco, o presente. Os ossos, os dentes, a coluna vertebral.





OS PLANETAS TRANSATURNINOS



No século 18, Urano foi descoberto. No final do século 19, Netuno foi avistado pela primeira vez e finalmente Plutão foi detectado nos céus durante os anos 30 do século 20.



Cada um desses planetas descobertos recentemente referem-se à coletividade, as mudanças tecnológicas e o impulso para a experimentação, invenção, liberdade individual (Urano), utopias coletivas, remédios, derivados do petróleo (Netuno) e movimentos autoritários que visam o controle total de um grupo ou país, os oligopólios internacionais e as pesquisas genéticas (Plutão).



Os astrólogos decidiram isso em função da época em que esses planetas foram primeiro avistados e o que acontecia na sociedade quando isso ocorreu, pois seguem a norma de que o que está em cima é igual ao que está embaixo, como escrito na Tábua de Esmeralda, antigo documento alquímico.



PLANETAS E SUAS REGÊNCIAS OU FORÇAS



Cada um dos planetas rege, tradicionalmente, dois signos: um diurno e positivo, ou seja, masculino; outro noturno e negativo, ou seja, feminino. Isso quer dizer que os planetas têm maior autonomia e funcionam melhor em determinados signos. O contrário também acontece. Em alguns signos os planetas comportam-se natural e espontaneamente, como se estivessem vestindo uma roupa que não impedisse a liberdade de movimentos e o conforto de seus gestos” (Astrologia Bol).



Marte, segundo criam, era o deus da guerra, o que combina com a cor vermelha do planeta, cor que, como sabemos hoje, deriva da abundância de óxido de ferro em sua superfície.



Como podemos ver acima, a Astrologia está mais bem fundamentada do que as religiões. Todavia, estudos científicos modernos negam que os astros tenham qualquer influência sobre a vida humana.



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui