Usina de Letras
Usina de Letras
38 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61983 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10446)

Cronicas (22532)

Discursos (3236)

Ensaios - (10271)

Erótico (13561)

Frases (50400)

Humor (20004)

Infantil (5392)

Infanto Juvenil (4728)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140727)

Redação (3291)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1957)

Textos Religiosos/Sermões (6144)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
cronicas-->JOÃO SURDO -- 18/11/2012 - 15:03 (ADhemyr Fortunatto) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

JOÃO SURDO

Texto publicado em NOVEMBRO DE 2012, na  Coluna do ADhemyr, do JR NOTÍCIAS, de São Paulo - SP }} www.jornalnoticias.com.br

Desempregado, ele descobriu um filão, mas que, à primeira vista, lhe pareceu um fiasco, --- tornou-se vendedor de aparelhos de surdez.
Achou que devia começar por um local barulhento, --- o que não falta na Grande São Paulo. Escolheu, por questão de “comodidade”, e também por time, o centro de Diadema. Postou-se na esquina da Rua Antonio Piranga com a Avenida Alda. Ficou com um aparelho na mão, mostrando às pessoas, oferecendo-o. Mas, em vista do barulho, ninguém ouvia o João. (Seu nome era João). Vez por outra vendia algum aparelho.
Tanto ficou naquele lugar, que acabou ele mesmo perdendo considerável parte da audição.
E teve, --- ele mesmo --- que usar aparelho de surdez... E como ninguém já não o ouvia desde antes, ele criou um cartaz, pendurou-o nas costas, com os seguintes dizeres, --- “Aparelhos de surdez do João Surdo. Tão ‘bão’ que eu também uso”.
Pronto! Começou a vender horrores! E, como para se consolar, dizia a si mesmo, --- abençoado esse lugar barulhento, que apesar de me deixar surdo, me rende agora uns trocados.
Com efeito, tanto vendeu que, passados alguns anos, montou sua própria loja, --- “João Surdo, Aparelhos de Surdez”.
Não enriqueceu, óbvio; está bem financeiramente.
E sempre bendiz o centro de Diadema, um dos locais mais barulhentos que já se viu.

ADhemyr Fortunatto
Blog:
http://olivro-reflexoes.blogspot.com

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui