Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
174 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59112 )

Cartas ( 21236)

Contos (13108)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9435)

Erótico (13481)

Frases (46498)

Humor (19274)

Infantil (4456)

Infanto Juvenil (3718)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138219)

Redação (3053)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5520)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Infantil-->Como não apanhar do pai -- 13/08/2004 - 09:18 (fernanda araújo) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. Fernando, meu irmão estava com seus nove anos. Era um bom menino. Sempre acompanhava meu pai nas idas à igreja e os dois sempre se deram muito bem. Mas criança de vez em quando faz alguma “arte” e o Fernando não fugia à regra.
Um dia, ele fez alguma coisa que meu pai não gostou. Quando o Fernando viu que as coisas não estavam bem para o seu lado, correu procurando refúgio no quarto da vovó. Ali era um cômodo só de minha avó que morava na roça e passava os finais de semana conosco. Lá ela ficava mais à vontade, deixava roupas em cima da cama, da cômoda e até no chão.
Ao entrar no quarto, ficou sem saber o que fazer: se escondia debaixo da cama, se ficava atrás da porta, e eis que chega meu pai para cobrar dele uma explicação. Ele, de cara a cara com meu pai, sentiu-se envergonhado, engoliu a fala e o jeito era tentar se despistar de alguma forma. Ainda bem que havia um pano no chão que ele pegou com rapidez, segurando-o com as duas mãos esticou-o na altura do rosto, e se protegeu dos olhares meio zangados do pai. Só que o pano era uma peça íntima de minha avó . E aí ficou engraçado demais, porque meu pai – muito sério - sentiu-se, de repente, com vergonha de ficar frente a frente com aquela enorme calçola. Ele saiu de cena rapidinho e o Fernando se sentiu aliviado. Só não ficou livre de nossos risos que a tudo presenciáramos.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui