Usina de Letras
Usina de Letras
31 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61983 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10446)

Cronicas (22532)

Discursos (3236)

Ensaios - (10271)

Erótico (13561)

Frases (50400)

Humor (20004)

Infantil (5392)

Infanto Juvenil (4728)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140727)

Redação (3291)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1957)

Textos Religiosos/Sermões (6144)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
cronicas-->O FEIO ABUNDA -- 17/08/2012 - 12:49 (ADhemyr Fortunatto) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
O FEIO ABUNDA
Por: Escritor ADhemyr Fortunatto


Texto publicado no mês de Agosto de 2012, na Coluna do ADhemyr,
do JR- NOTíCIAS, de São Paulo-SP. (www.jornalnoticias.com.br).


Hoje em dia o feio abunda. Abunda de sobeja, de sobra, de superabundante, ou, trocando em miúdos, --- está cheio de coisas feias por aí, de um mau gosto medonho.


Pronto! Resumi o que penso, mas nada concisamente, confesso.


Não; nem tudo está perdido. A beleza está se perdendo; o romantismo está submergindo; a boa música está desaparecendo; o magnificente vestuário de outrora está por um fio. Mas, falando assim, se nem tudo está perdido, o que resta?


Ora, resta a esperança nessa nova geração, de pequeninos, que ainda poderão nos proporcionar abundància de bom gosto, quando estivermos todos velhinhos... Aí diremos --- que bom! O mundo já foi bem pior! Ah, cadê minha dentadura, cadê a minha bengala; ó, esse fraldão é meu!


Também não estou querendo dizer que as pessoas devam voltar a portar bengalas, nem relógio de corrente, nem Pager. Mas uma coisa garanto --- se o bom gosto das pessoas tivesse evoluído na proporção da tecnologia, ah, este tempo seria o mais bonito de todos! Pois, reparem, a cada dia um novo aparelho com possibilidades fantásticas, e na mesma proporção --- e infelizmente --- uma nova música feia que dói, uma roupa horrível de doer mais que tropeçar num toco e arrancar a unha do dedão. Falando com uma pessoa sobre isso numa rede social, ela me disse:


---Ó, ADhemyr, é que você está com problema de veia!


Assustei!... De veia presume-se saúde. Saúde, preocupação...


---Como? O que o meu pensar dos tempos tem a ver com minha veia?


---Isso é problema de veia! --- Repetiu. --- De velhice... veieira...

==========================================
Escritor ADhemyr Fortunatto


adhemyr_fortunato@yahoo.com.br
www.usinadeletras.com.br/exibelotextoautor.php?user=ADhemyr
www.paralerepensar.com.br/adhemyrfortunatto
www.jornalnoticias.com.br

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui