Usina de Letras
Usina de Letras
37 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61983 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10446)

Cronicas (22532)

Discursos (3236)

Ensaios - (10271)

Erótico (13561)

Frases (50402)

Humor (20004)

Infantil (5393)

Infanto Juvenil (4728)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140727)

Redação (3291)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1957)

Textos Religiosos/Sermões (6144)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
cronicas-->BRAVADO -- 25/07/2012 - 23:14 (ADhemyr Fortunatto) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

Conheci essa música do Rush, acho que... na década 80.
Um conhecido do trabalho foi quem me passou essa música, e numa fita cassete.
Viemos de carro até o Jabaquara ,ele comigo, nós ouvindo.
Detestei tudo do Rush!
Essa música passou despercebida.
Mas ele tanto perguntava, tanto perguntava, que resolvi em casa, ouvir a fita inteira.
Quando ouvi os primeiros sons dessa música, pasmei...
Fiquei pensativo.
Aquilo me tocou.
Como uma música nos toca, nunca saberemos...
Mas tocam.São como pessoas...
Porque de certas pessoas tanto precisamos, e, se elas se forem, sabemos que morreremos um pouco...
Porque a vida nada mais é que uma morte aos poucos.
E, afinal, quando chegar a hora final, tanto já morremos,  que talvez nem sentiremos tanto.
Quando morreu nosso gato de estimação,  branquinho, atropelado, tive que pegá-lo na rua, todo manchado de sangue...
No meu carro, coincidentemente, tocava essa música...
Vieram os tempos dos celulares...
Logo coloquei como "toque" adivinhe que música?
Esta mesmo,Bravado...
E...num dia, quando a pessoa que amava tanto aquele gatinho branco também veio a falecer e, enquanto eu segurava a mão fria dela, eis que meu celular tocou... Era Bravado, também no toque do despertador, cinco horas da manhã...
Um toque do despertador em momento tão inoportuno...
Como se a me despertar para a vida...
Em verdade...nunca mais despertei.
Estou tentanto, no entanto...
Sempre quando sinto que preciso me reerguer das cinzas,
sob escombros, eu ouço essa música.
A vida segue, enfim...Mas... eu não queria chorar.

 ------------------------------------------
ADhemyr Fortunatto.
-----------------------------

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui