Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
216 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58157 )
Cartas ( 21211)
Contos (12857)
Cordel (10239)
Crônicas (22094)
Discursos (3147)
Ensaios - (9229)
Erótico (13452)
Frases (45305)
Humor (18938)
Infantil (4161)
Infanto Juvenil (3234)
Letras de Música (5506)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138720)
Redação (2996)
Roteiro de Filme ou Novela (1058)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5253)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->CARTA À BIBLIOTECA DE BABEL -- 25/01/2006 - 14:55 (Francisco Miguel de Moura) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
FRANCISCO MIGUEL DE MOURA
Romancista, poeta, crítico literário e acadêmico
Av. Juiz João Almeida, 1750 – Bairro Planalto Ininga
Fone/fax: 86 – 3233-8329 email: franciscomigueldemoura @superig.com.br


Teresina, PI, 25 de janeiro de 2006

Prezado Coordenador,
ARACI MAGRÃO


Apresso-me a responder seu questionário, PESQYUSA DE OPINIÃO, esperando que saia a contento, pois verdadeiro no meu íntimo, na minha vida e nas minhas ações também. Escrevo todas as sextas-feiras no jornal “Diário do Povo do Piauí” e várias das opiniões já foram expendidas em meus artigos semanais
PESQUISA:
1 – Estudei na escola primária de meu pai, depois no Ginásio Estadual de Picos, cidade onde nasci e finalmente na Faculdade Católica de Filosofia do Piauí, em Teresina.
2 – Profissão aposentado como bancário do Banco do Brasil, hoje apenas escritor.
3 – Hobby/passatempo: ler, escrever, ver tevê (pouco), divirto-me muito na internet. Além disto, quando posso, nado, faço hidroginástica, etc.
4 – Fone/fax/e-mail: estão encimando esta carta.
5 – Bibliografia: Tenho 23 livros publicados, o primeiro “Areias” (1966), de poemas; e o segundo é uma biografia “Miguel Guarani, Mestre e Violeiro” (2005). Com relação ao que publicaram sobre minha obra é imensa a bibliografia. Colaboro também nos jornais “Correio do Sul”, Varginha (MG), “Diário dos Açores” e “O Primeiro de Janeiro” , em Portugal. E mais em diversas revistas pelo Brasil inteiro.
OPINIÃO:
1 – CARNAVAL: Já foi muito melhor. Não brinco, mas acho bonito olhar, nas ruas e na tevê. Entretanto, acho que há exageros só para mostrar aos gringos. Não é mais uma festa nacional. Com todas as reservas, digo: trata-se de uma festa puramente globalizada.
2 – PENA DE MORTE: Sou totalmente contra. Já nascemos todos condenados a morrer. Por que um tribunal ou uma autoridade já se acha no direito de tirar a vida a qualquer um. Não, não e não!
3 – Transgênicos: Não conheço bem a matéria, que pertence à ciência. Mas, como leigo, acredito que devia ser mais bem estudado o problema que, se por um lado pretende acabar com a fome não mundo (e não vai, pois o problema é o capitalismo, o mercado, a distribuição), por outro, quem sabe, poderá causar grande prejuízo à saudade das pessoas, no futuro, irreversíveis.
4 – Mário Quintana – o grande poeta menino, curto muito. Sou poeta e como tal, seria um contra-senso não ler e gostar de Quintana, sua originalidade, sua clareza, sua beleza.
5 – Bento XVI – Nenhuma opinião. Sou católico, apostólico, não-romano.
6 – LULA-LÁ – Lula lá ou cá, tanto faz – na política brasileira está faltando vergonha dos homens de cima darem o exemplo aos da periferia. Moral, moral e moral. Somos ricos de tudo, menos de bom procedimento. Seria uma doença? Por que não melhoram as leis, não acabam com a maioria delas? Por que não reduzem o Congresso à metade dos seus deputados e senadores?
7 – UNIÃO CIVIL (Casamento Gay): - Sou contra. É estímulo ao antinatural. Qualquer coisa que fira a natureza é contra o homem. O homem está se tornando cada vez mais o destruidor da natureza, quando deveria conservá-la; o eterno insatisfeito de ser finito, natureza. É o animal mais feroz da terra. Não tem sentido o casamento de gays. A seguridade social do homem, seja mulher, homem ou homossexual, isto sim. É outra coisa. O respeito às diferenças, idem. Mas...
8 – MAIORIDADE PENAL – 16 ANOS - Sim, por que não? Quem pratica um crime deve pagá-lo e só deve faze-lo se tem liberdade, e conseqüentemente, responsabilidade. Com 16 anos a criatura já deve ter a noção do mal que pode causar a si e aos outros.
ATENCIOSAS SAUDAÇÕES

FRANCISCO MIGUEL DE MOURA



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui