Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
90 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59138 )

Cartas ( 21236)

Contos (13105)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46521)

Humor (19282)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138241)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5526)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Humor-->O VIGÁRIO E A PECADORA -- 05/08/2007 - 03:24 (Benedito Generoso da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.
O VIGÁRIO E A PECADORA

PECADORA:
Oh, padre! Até que enfim,
Pude o senhor encontrar,
Já fazia muito tempo
Que eu queria lhe falar.

VIGÁRIO:
Eu estou assoberbado,
Preciso sair agora
Devido aos compromissos,
Você volte outra hora.

PECADORA:
Toda vez que o procuro
O senhor fica zangado,
Não tem tempo para mim,
Está sempre ocupado.

VIGÁRIO:
Estou indo ao hospital,
Preciso cuidar da alma,
Vou visitar um doente
Para lhe infundir a calma.

PECADORA:
Seu padre, é um segredo,
Que eu tenho pra contar:
Sou uma pobre pecadora
E quero me confessar.

VIGÁRIO:
Pela imposição das mãos,
Eu perdôo o seu pecado,
Agora me dê licença,
Já estou muito atrasado.

PECADORA:
Eu preciso lhe falar,
O padre tem que me ouvir,
E antes que eu diga tudo
O senhor não vai sair.

VIGÁRIO:
Como foi que aconteceu
E o que é que você fez?
Disponho de pouco tempo,
Diga logo duma vez!

PECADORA:
É grande meu sofrimento,
Eu nem sei como explicar,
Estou muito perturbada,
Com vontade de chorar.

VIGÁRIO:
Minha filha, vá dizendo
O que é que lhe atormenta,
Se acaso for um demônio,
Expulso com água benta.

PECADORA:
É um caso muito sério
Que marcou a minha vida,
Fiquei eu apaixonada
E não sou correspondida.

VIGÁRIO:
Não vejo nisso problema,
Portanto nem fique aflita,
Já que o amor sentimental
É uma coisa até bonita.

PECADORA:
Só que morro de paixão
Pelo meu grande senhor,
Nesta casa paroquial,
Declaro-lhe o meu amor.

VIGÁRIO:
Não gosto de brincadeira
E não quero confusão,
Sou eu um servo de Deus,
Suma daqui tentação.

PECADORA:
Eu estou falando sério,
O senhor que é maldoso,
Mas, apesar de ser padre,
É um pão muito gostoso.

VIGÁRIO:
Não fale assim comigo,
Vê se não me aborreça,
Vá embora duma vez
Senão perco a cabeça.

PECADORA:
Eu daqui não vou embora,
Sem matar o meu desejo;
Vou lhe dar um forte abraço
E, na boca, um longo beijo...

VIGÁRIO:
Serpente! Desapareça!
Vou morrer do coração...
Inda bem que foi um sonho
De padre, no seu padrão.

BENEDITO GENEROSO DA COSTA
benegcosta@yahoo.com.br
DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS


































Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 101Exibido 1136 vezesFale com o autor