Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
184 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59111 )

Cartas ( 21236)

Contos (13108)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9435)

Erótico (13481)

Frases (46498)

Humor (19274)

Infantil (4456)

Infanto Juvenil (3718)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138219)

Redação (3052)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5520)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Infantil-->Dª Maria Caramujo -- 21/07/2004 - 21:45 (fernanda araújo) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. Compramos uma casa na Rua Bahia e depois de uma razoável reforma, ela nos serviu por um bom tempo. A família foi aumentando mais do que havíamos planejado e nossa casa ficou pequena. Resolvemos fazer uma experiência, morando em apartamento. Alugamos uma cobertura num edifício na Praça da Catedral e foi do agrado geral. Além do apartamento ser excelente, tínhamos a Praça onde os meninos iam brincar à tarde. Eu sempre gostei daquele “pedaço” onde passei grande parte de minha vida. Como a experiência deu certo, tomamos a decisão de construir apartamentos no lugar de nossa casa. O A. pediu à inquilina que agilizasse a mudança, pois todas as frações já estavam vendidas e as providências para a construção já estavam encaminhadas. Mas Dª Maria fazia-se de surda. Cada vez ela se esquivava com uma desculpa e foi “enrolando” como pode. Os compradores, pressionando, queriam o início da obra! Mas a situação foi-se arrastando e Dª Maria não se movia. O A. tentava persuadi-la e nada conseguia.
Um dia, ele teve uma idéia. Seria a última cartada. Procurou-a e, amavelmente, falou-lhe da necessidade de começar a obra que estava prevista para durar 6 anos e o planejamento feito teria que ser cumprido. Ela não pagaria o aluguel daquele mês e ainda poderia levar a casa para ela! Poderia levar tudo, pois o interesse da turma era somente o lote! E não é que funcionou? Naquela semana mesmo Dª Maria Caramujo, feliz da vida, mudou-se e levou a casa com ela!
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui