Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
165 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58131 )
Cartas ( 21211)
Contos (12856)
Cordel (10239)
Crônicas (22079)
Discursos (3147)
Ensaios - (9225)
Erótico (13451)
Frases (45272)
Humor (18933)
Infantil (4151)
Infanto Juvenil (3229)
Letras de Música (5505)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138693)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1057)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5247)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->CLARICE LISPECTOR: EM CENA ABERTA... -- 08/08/2011 - 12:08 (getulio silva) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

CLARICE LISPECTOR: EM CENA ABERTA...

 

 

 

Uma Ucraniana que dizia: “Amo a língua portuguesa. (...) Eu até queria não ter aprendido outras línguas; só para que a minha abordagem do português fosse virgem e límpida.” Poucos criaram, em língua portuguesa, um estilo tão pessoal, uma obra tão densa quanto a brasileiríssima Clarice Lispector. Poucas escritoras escreveram tão bem, o universo psicológico de alguns retratos feminino de nossa literatura, como as personagens Joana de seu livro de estréia Perto do coração selvagem, e G.H. de sua obra-prima, o romance A paixão segundo G.H. Já no final de sua vida, dedicou o romance a Hora da Estrela, que fala das mazelas socias brasileiras por meio da personagem tragicamente cômica (ou comicamente trágica), a alagoana Macabéa. Que exemplo de brasilidade de uma mulher quando se diz: Amo a língua portuguesa... E pensar que nós brasileiros, às vezes, nos esquecemos disso! Ah, esquecemos de tantas coisas, que precisamos reler esta escritora para aprender: A ser Brasileiro!

Às vezes, sinto-me vergonha de ser brasileiro, quando vejo a corrupção que corroem todos os níveis de governo desse País. Quando vejo crianças passando fome, enquanto os ministros, deputados, prefeitos, vereadores... Estão por este Brasil afora enchendo os seus bolsos de propina... Isso até parece cultural!  ”E eu não agüento a resignação. Ah, como devoro com fome e prazer a revolta.” Penso, que esta frase de Clarice deveria nortear a vida de nós brasileiros,aliás, ser colada na porta da geladeira ou melhor na parede da casa ou barraco, pois nem todos tem geladeiras.

Acho, que esta faltando atitudes e mais brasilidade nesse povo que sofre e acredita que este País tem jeito... Bolsa família não leva a lugar nenhum, um engodo para eleger os políticos mal intencionados que, usam a fé do povo pobre deste País.

A dignidade de um povo se conquista com a Educação e o Trabalho e não com migalhas

Eleitoreiras do dinheiro que já é nosso por direito. Bolsa família é a enganação do povo!

“VER A VERDADE SERIA DIFERENTE DE INVENTAR A VERDADE?” Pense nisso! Frase de Clarice.

E, tem muita gente por ai, inventando a verdade!

A liberdade de um povo não está só em escrever ou falar o que pensa e sim, denunciar aquilo ou aqueles que nos trapaceiam, que nos acham ignorantes... Está em nossos direitos mais primários de se ter comida a mesa.

A dignidade de um homem é o seu bem maior e é conquistada com o trabalho digno e honesto e através, dessa tal DIGNIDADE, que conseguimos viver o dia a dia, com as aquisições que fazemos com o nosso próprio dinheiro.

“É QUE SINTO FALTA DE UM SILÊNCIO. EU ERA SILENCIOSA. E AGORA ME COMUNICO MESMO SEM FALAR. MAS FALTA UMA COISA. E VOU TÊ-LA. É UMA ESPÉCIE DE LIBERDADE. “SEM PEDIR LICENÇA A NIGUÉM.”

Esta frase revela um pouco dessa Clarice que eu gostaria de tê-la conhecido, e por isso,

Aplausos em cena aberta: Bravo! Bravo! Bravo!...

 

 

Getulio Silva 07/08/2011. 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui