Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
61 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57550 )
Cartas ( 21185)
Contos (12638)
Cordel (10186)
Crônicas (22292)
Discursos (3141)
Ensaios - (9093)
Erótico (13416)
Frases (44326)
Humor (18630)
Infantil (3915)
Infanto Juvenil (2861)
Letras de Música (5480)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138276)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4994)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->TERRA DO BAGRE! VIVE IN BODE! -- 01/03/2011 - 13:16 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
TERRA DO BAGRE! VIVE IN BODE!

Poeira, chã, e balão no erário com a zabumba do “CARA DE MANDACARU” e “CABEÇA DE BEBÊ” balançando os inocentes na suada camisa de uma gente pobre sem o “SABER” no sabe ler de cada um. É carnaval de opilações nos pilares de afilhados e padrinhos da politicagem partidária dos acordos nefastos e olho no umbigo, bagres puxados para cada cesto na acumula da ação politica, assustando uma sociedade de cupins, com a cara de jaqueira lisa dessa parentada açucarada do silencio covarde das “BOCAS DE GRUDES” do nosso “PILAR APILADO”. Descendo sem freio e rumo a Deus dará vem o bloco do povo, estampando calo das caladas madrugadas, com figuras importantes: Zé Bonzinho, Balança meu Bem, Dr. Sinuca, vovó farol de kombí, vovô olho de Lula, boca rica, beliar, Maria bumbum, meu boi, venta louca, chira, camburão, belezo, caga parede, quebra pica, mafuá, pé de bombo, seu merda, João matão, caroucha e tantas outras figuras que decide as importantes ações sociais da terra de Artur Ramos e dos Bagres e dá Bode, em rolos tantos, que deixa qualquer contabilidade melada na dinâmica de somas com resultados nas variações do querer rolado na “CASA DO POLVO RALADO”. Está cidade de Ruas, locais e bairros interessantes como: Beco das Corujas Consome Homi, Bêco do Fogo, Macaxeira, Morro do Macaco, Rolo do Major, Rua da Lama, Rua do Forno e daí vêm os blocos da festa do diabo que é o maracatu; Rola cansada, Priquito do Anisio, Quebra Pica, Aço, Caçador, Fuleragem de Cù e Saía, à alegria leva as altas noites e a cana trabalha o engenho de cada um, na aguardente consumida e o cérebro adormecido na velocidade ali babá e seus dez bestinhas de caneta e papel mudando o curso natural da nossa apodrecida Mãe Manguaba. Agora Chore! É Carnaval...

Paz na Terra no Pilar de Boa Vontade...
O Cordeiro Pilarense que Pague o Pecado Apilado.
Vai a Paz

Padre Bidião
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui