Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
55 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59127 )

Cartas ( 21236)

Contos (13112)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46510)

Humor (19279)

Infantil (4457)

Infanto Juvenil (3725)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138227)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5523)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->*O LÍQUIDO DA VIDA* -- 29/09/2009 - 16:22 (Sonia Nogueira - *sogueira*) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.


*O Líquido da Vida*

Líquido precioso da vida o sangue. Algumas pessoas não sabem conservá-lo e estragam com cigarro, álcool, drogas. Depois de intoxicado difícil a tarefa para purificá-lo.

Ontem assisti este líquido vermelho pingando gota a gota no calçamento da rua em plena 15h45min no sol escaldante da Fortaleza quente. Nunca me aproximo de acidentes, me constrange.

Sabemos que, a cada minuto, vários acidentes de carro acontecem no mundo. Mas quando ocorre a duas casas, após a sua, a coragem faz você vê de perto o trágico. Um carro da Nacional gás Butano vinha na sua mão, por isso ia com toda segurança. A motorista uma jovem de 28 anos e sem cinto, é aqui perto vai sem cinto, segundo as pessoas que foram ao carro e constataram que o material estava bem certinho no lugar.

Estava fazendo o café e ouvi o estalado de sons parecia um telhado voando no ar ou uma casa sendo demolida. De repente o último bac forte e o silêncio. Corri. Estava lá a jovem estirada no calçamento, a multidão logo encheu metade do quarteirão. O carro com os quatro pneus para cima, o outro na outra rua a meia quadra do rebolado do corpo que foi cuspido desastrosamente.

Encontraram a bolsa telefonaram para a família. Chegou a irmã. Grito de desespero. Minha irmã? Nãoooooooooo. Tome um pouco d’água oferece à vizinha. Chega a polícia, afasta o povo, entrevista uma pessoa dali. Chama o SAMU.
O líquido ali escorrendo como uma tintura num quadro preto. A vizinha trouxe um guarda chuva para amenizar o sol quente no corpo desmaiado e com respiração ofegante. A irmã quis se aproximar abraçar. Não pode moça, argumentou a polícia. Não se mexe enquanto os médicos não chegarem.
O SAMU demora e angústia toma conta do nosso coração. Bate forte a lágrima aparece, a multidão aumenta.

Chega enfim o SAMU afasta a multidão, desemborca o corpo, põe o corpo ainda desacordado na maca e dá os primeiros atendimentos de urgência. Passa alguns minutos e sai com a sirene triste pedindo passagem. O líquido ainda está ali na rua como prova do descuido e imprudência dos condutores de carro.

Hoje soube que a jovem de 24 anos tem uma butique há dois quarteirões da minha residência, na avenida central do bairro. Na semana passada passei lá e comprei um par de brincos. Nem sabia que o inesperado ia acontecer na minha rua.
Sua alma subiu para outra dimensão às 18h00min do mesmo dia.
Ninguém sabe do amanhã imagine do futuro!
Por isso vivamos hoje bem e dignamente saudável.

SoniaNogueira
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui