Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
161 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58131 )
Cartas ( 21211)
Contos (12855)
Cordel (10239)
Crônicas (22079)
Discursos (3147)
Ensaios - (9225)
Erótico (13451)
Frases (45271)
Humor (18933)
Infantil (4151)
Infanto Juvenil (3229)
Letras de Música (5505)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138693)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1057)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5247)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Do templo do luxo para a boca do lixo -- 28/03/2009 - 18:19 (Maria Augusta Camargo Schimidt) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Augusta Schimidt

Hoje o dia acordou sombrio e meu Brasil rico de pobres... Decepcionado.
Mais uma vez o elitismo e o desconstrutivismo anárquico falou mais alto, driblou a lei ou até quem sabe, na calada da noite “editou a lei” para que a justiça fique cada dia mais cega.
Nossa bandeira que tão bem Bilac exaltou, nosso símbolo augusto da paz, já não vive seus dias de glória, pois tem seu verde descolorido pela desesperança.
O que ontem era honra e brio, hoje é subserviência. Neste meu Brasil rico de pobres, quem tem dinheiro tem o poder de transformar 94 anos e seis meses em horas, uma mágica triste que só aos justos não encanta.

E é por isto que meu Brasil chora e pede a Deus em oração...

Senhor Deus
Criador de todas as coisas
Pai de todos os povos
De joelhos me coloco diante de Ti
Para que possa me ouvir

Sei que ainda sou criança
Muito tenho que aprender
Mas eu lhe peço, Meu Deus
Ouça meu pedido
E venha me atender

Deus querido,
Acabe com a insegurança de meu povo
Para que eles me ajudem prosseguir
Tire de meu seio os homens maus
Todos aqueles que não querem meu progresso
Acabe com a farra nos tribunais e no congresso
Para que os homens de bem possam me ouvir

O Senhor sabe, Meu Pai
Sou bem rico
Tenho terras, tenho bens
Tenho jazidas
Tenho gens

Tenho coragem
Tenho bravura
Tenho gosto pela cultura
Tenho até humildade
Para enfrentar a dura realidade

Só o que me falta neste momento
São os braços fortes...eu lamento
Falta o grito de esperança
Faltam homens com memória
Para ajudar a construir a minha história

Deus...
Eu quero ser grande
Quero ser forte
Quero ajudar meu povo
Perdido em sua sorte

Quero ver novamente
Minha bandeira tremulando ao vento
Resgatando a honra e retratando a paz
De todo povo brasileiro.

Amém
Assinado: Brasil



Campinas/28 de março /2009

www.coletaneadosaber.net
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui