Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
103 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57012 )
Cartas ( 21168)
Contos (12603)
Cordel (10073)
Crônicas (22187)
Discursos (3134)
Ensaios - (8995)
Erótico (13393)
Frases (43603)
Humor (18446)
Infantil (3772)
Infanto Juvenil (2676)
Letras de Música (5469)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138216)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4847)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Humor-->QUEM PROCURA, ACHA -- 14/05/2006 - 17:37 (GERMANO CORREIA DA SILVA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
QUEM PROCURA, ACHA
(Por Germano Correia da Silva)

Um desses representantes do povo, que gosta de ser chamado de político, morador de uma cidade integrante de um grande conglomerado popular, andando numa das ruas da periferia encontra um garoto que sem nenhum acanhamento lhe pede uns trocados para matar a sua fome:

- Moço, me dá um trocado para eu comprar um pão.

O político, envolto de um espírito mais que altruísta, entende que era a hora de ajudar aquele garoto e decide interrogá-lo antes de lhe entregar algum dinheiro ou comida, e o faz de forma bastante carinhosa:

- Meu filho, por que você está aqui sozinho? Você mora perto daqui?

O garoto, por sua vez, nada responde.

- Meu filho, você estuda, trabalha, freqüenta alguma igreja?

E o garoto permanece calado.

- Meu filho, você tem irmãos pequenos, irmãs pequenas?

Ante aquela bateria de perguntas, o garoto resolve quebrar o silêncio, respondendo-lhe que tinha três irmãos pequenos e duas irmãs gêmeas, ainda de colo.

O representante do povo não satisfeito com o resultado de seu interrogatório resolve fazer mais algumas perguntas:

- Meu filho, você tem mãe? Tem pai? E os seus avós, eles moram perto daqui?

E o garoto responde que não sabia onde seus avós moravam.

- E a sua mãe, e o seu pai, onde eles estão?

E ele responde que o pai dele tinha ido embora e que a mãe dele estava à procura.

- Meu filho, a sua mãe já encontrou seu pai? – pergunta o político, com certa ansiedade.

E o garoto, esboçando um ar de felicidade, responde:

- Eu tenho plena certeza que ela não irá encontrá-lo lá onde ela está procurando...

- Mas por que você tem essa certeza, meu filho? – pergunta aquele representante do povo.

E o garoto responde:

- Por um motivo muito simples, meu senhor. Desde a primeira pergunta que o senhor me fez, tem me chamado de “meu filho”... e isso é muito estranho.

- Não estaria eu diante desse homem que minha mãe diz que é meu pai e que ela o tem procurado em vão já há bastante tempo?
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 15Exibido 1269 vezesFale com o autor