Usina de Letras
Usina de Letras
17 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61949 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22529)

Discursos (3235)

Ensaios - (10254)

Erótico (13559)

Frases (50353)

Humor (19993)

Infantil (5387)

Infanto Juvenil (4724)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140710)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Humor-->papai noel dos outros -- 17/12/2005 - 22:14 (Alkiria Xavier) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos

PAPAI NOEL DOS OUTROS (Conversa de dois matutos)

Ôche!
Que Nossa Senhora lhe potreja, cumpade!
Vestido numa fatiota dessa... nesse calor da mulesta, num sei cuma tu agüenta!

- Fatiota não cumpade! Isso é um palitó. Coisa da cidade, cumpade!

É... de onde tu vem tem muita coisa de trevessa.
Diga aí uma coisa boa que se aproveite, cumpade!
Qué que tu vei fazer na terrinha?

- Ah... eu vim trazer uns presente prus minino. Tu já ouviu falar de Papai Noel?

Eu acho que já.
Não é aquele véi de baiba branca, vestido num mijão vermei, em riba de um carro-de-boi sem roda, acunhado por uma magote de viado?

- É esse mêrmo! Eu tou aqui mode fazer de conta que ele mandou esses brinquedo, sabe?

Faça isso não, cumpade!
Ôce vai estragar esses moleque tudim.
Papai Noé daqui é um trovão bem ribombado em riba da serra;
é um baú chei de farinha cum rapadura escondida dento;
uma siriema cantando na ribeira;
um preá correndo de medo duma penêra;
uma galinha gogó-de-sola com 20 ovo atrás da porta;
ou se não, visse, um litro de mií de môio amulecendo pá se fazer um cuscui.
..........
E tu vem cum essa cunvésa hôme!
Dêxo os minino brincano de natureza;
fazendo boi de melão;
carrapeta de araçá;
badoque de trapiá;
montando quixó no mato, varano de serra a cima encheno o bucho de juá. ôche!

- Mas, cumpade! Nós tamo nos tempo muderno...

Ói cumpade, essa sua mudernage vem misturada de tudo quanto num presta, visse?
Quem já se viu, hôme, minino do mato brincar cum coisa que num tem por aqui?
Tu tá querendo é estragar o angu dos pobe.

- Mas, cumpade! Ser modernoso num é coisa ruim não, visse?

Num é?
Tu acha que brincar de revóve, num é coisa ruim?
Tu acha que se rebolar todo, vestido numa roupa cor de rosa, é coisa de hôme, é?
Ou se não mostrar o rabo pra todo mundo é coisa de mulé séria, é?
Sei não, visse. Essa tua mudernage num cabe aqui não.
É melhor tu pegar esse saco, botar de vorta no caçuá, e esquecer que aqui tem minino, visse?
Se desaprega cumpade, dessa história de Papai Noé. Isso é coisa do povo lá de riba, que num tem outra coisa pá inventar, fica por aí vendendo assombração pra gente. Nós num tem nem bueiro mode esse coisa invadir as casa. Quanto mais um pasto verde praquele magote de viado.

- Tá certo, cumpade, tá certo. Já num tá mais aqui quem falou. Inté.

Já pensou? Só me faltava uma visage dessa. E vim fazer zuada logo por aqui.

Por Marco di Aurélio - Dez 2005
e-mail: marcodiaurelio@hotmail.com

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui