Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
215 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57825 )
Cartas ( 21201)
Contos (12755)
Cordel (10224)
Crônicas (22042)
Discursos (3145)
Ensaios - (9163)
Erótico (13441)
Frases (44851)
Humor (18808)
Infantil (4037)
Infanto Juvenil (3013)
Letras de Música (5488)
Peça de Teatro (1325)
Poesias (138416)
Redação (2969)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2414)
Textos Jurídicos (1931)
Textos Religiosos/Sermões (5110)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->29.06.2020 - Diário da Pandemia -- 29/06/2020 - 16:13 (TARCISO COELHO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

https://youtu.be/neIeMpTx7UQ

 

Diário da Pandemia

 

Medo: por que sentimos e como superá-lo

 

O medo não é sinal de fraqueza ou covardia. Muito pelo contrário: é uma reação involuntária e natural com a qual o ser humano convive ao longo de vários momentos de sua vida.

Muitas situações podem desencadear essa emoção, desde ver uma barata até um revólver na sua cabeça. O cérebro é ativado involuntariamente quando sofre tais estímulos estressantes, liberando substâncias que disparam o coração, tornam a respiração ofegante e contraem os músculos. Essa é a conhecida reação de luta ou fuga, afinal, o medo está associado ao instinto de sobrevivência.

Se as pessoas não sentissem medo, não viveriam por muito tempo. Isso porque sem essa emoção faríamos qualquer coisa sem pensar duas vezes: andaríamos entre os carros em alta velocidade nas avenidas, ficaríamos lado a lado de animais ferozes, pularíamos de prédios etc. O medo, portanto, é uma trava que nos ajuda a pensar nos riscos e consequências antes de fazermos algo e também é uma resposta imediata nos momentos em que nos sentimos amedrontados e precisamos agir.

Bruna Cosenza

 

Veja mais em: https://www.vittude.com/blog/medo-como-superar/

 

 

Últimas Notícias: https://www.uol.com.br/

 

 

Diário da Pandemia

 

 

O Diário da Pandemia

Que inventei de escrever

Jamais teve a intenção

Que não só o meu querer

De o dia a dia registrar

Pra no futuro lembrar

O que estamos a viver

 

 

Mas é preciso dizer

Aqui não vou divulgar

Notícias de tristeza

Já que quero me alegrar

E se esse meu escrever

Nem pouco alegrar você

Mal também não lhe fará.

 

 

Caros Amigos,

 

 

A partir de 22.03.2020, passei a publicar versos meus em outras situações, retornando ao assunto em pauta apenas eventualmente.

 

Fique á vontade para lê-los ou relê-los no seguinte endereço:

 

www.usinadeletras.com.br

Autores

Letra T

TARCISO COELHO

Contos

 

Obs.: Fico grato pelas visitas, inclusive a outros trabalhos lá publicados, bem como aos comentários que tiverem a bondade de escrever.

 

 

 

Abraços a todos.

 

 

Tarciso Coelho, Crato (CE), 29.06.2020.

 

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui