Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
213 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57825 )
Cartas ( 21201)
Contos (12755)
Cordel (10224)
Crônicas (22042)
Discursos (3145)
Ensaios - (9163)
Erótico (13441)
Frases (44851)
Humor (18808)
Infantil (4037)
Infanto Juvenil (3013)
Letras de Música (5488)
Peça de Teatro (1325)
Poesias (138416)
Redação (2969)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2414)
Textos Jurídicos (1931)
Textos Religiosos/Sermões (5110)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->22.06.2020 - Diário da Pandemia -- 22/06/2020 - 12:21 (TARCISO COELHO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

https://www.facebook.com/watch/?v=246477199729587

 

Diário da Pandemia

 

Distanciamento Social

 

Hoje, 19.06.2020, completaram 90 dias que estamos isolados, eu e meus filhos Tarcisinho e Ariadne. Agradecemos a Deus por nos ter dado a graça da saúde e a paciência necessária para o momento tão difícil por que todos nós passamos nesta Pandemia da Covid-19.

Em 19.03.2020, dia do nosso Santo Padroeiro do Ceará, Senhor São José, escrevi o primeiro Diário da Pandemia, como registro do primeiro dia de distanciamento:

 

Dezenove de março

Dia do Senhor São José

Estou trancado em casa

Donde não tiro meu pé

Não indo nem na esquina

Buscar uma vitamina

Ou mesmo beber café

 

Da vida como ela é

Ninguém pode fugir

E para me adaptar

E nesta vida seguir

Tenho que respeitar

A Lei mais elementar

Que é de casa não sair

 

Quieto ficando aqui

Espero estar protegendo

O nosso querido Brasil

Que hoje está sofrendo

Com esta tal pandemia

Que tanto causa agonia

Até tem gente morrendo

 

Como todos estão vendo

O estrago pode ser feio

E quem é mais vulnerável

Em todo e qualquer meio

Já tem mais de sessenta

E por isso não aguenta

Qualquer grande aperreio

 

Quando chegar o Correio

Para uma carta entregar

Vou pedir pra por favor

Por baixo da porta passar

Se precisar eu assino

Sei não sou mais menino

Não quero me arriscar

 

Sei que isso vai passar

Pois passa o bom e o ruim

E se Deus me ajudar

Cuidando também mim

Quero pro Banco voltar

Para poder trabalhar

A vida foi sempre assim.

 

Embora não tendo prestado o Serviço Militar, encontrei na Igreja Católica, Maçonaria e Banco do Brasil, três escolas de disciplina, me agarrando hoje a este atributo dentre tantos outros possuídos por essas instituições, para dizer que não tem sido fácil, mas totalmente suportável este exílio.

Para viver o tempo (ninguém o mata, ele é quem acaba nos matando a todos), busquei novos conhecimentos:

- mais de uma centena de cursos da UNIBB – Universidade Corporativa do Banco do Brasil;

- Curso Maestria Emocional, Ivan Maia – Veja vídeo;

- Cursos Bíblicos:

a. Ensinos de Jesus: Uma introdução sobre a Bíblia. 18 lições;

b. Apocalipse: Revelações de Esperança: Um estudo sobre o livro de Apocalipse. 21 lições.

c. Em família: Um estudo voltado para a família. 16 lições.

- Leitura diária das notícias atuais em www.uol.com.br e pesquisas várias na Internet onde coleto o material para a maioria dos Diários da Pandemia.

Confesso apreensão inicial porque nunca havia ficado tanto tempo no mesmo lugar, mas a experiência foi aos poucos se tornando gratificante, principalmente pelo convívio com meus filhos, depois pela disponibilidade de tempo para contatos virtuais e ligações de vídeo, às vezes até vídeo conferência com minha Mãe, 95 anos, e irmãos.

Finalmente, espero um “novo normal”, com cura total da Humanidade.

-x-x-

“Homens fortes criam tempos fáceis e tempos fáceis geram homens fracos, mas homens fracos criam tempos difíceis e tempos difíceis geram homens fortes”. Provérbio Oriental

 

“Conhece-te a ti mesmo”. (Sócrates)

 

O Diário de hoje dedico aos meus seguintes familiares: quatro filhos, suas duas mães, uma nora e uma neta, Mamãe e seus 103 descendentes.

 

Últimas Notícias: https://www.uol.com.br/

 

 

Diário da Pandemia

 

 

O Diário da Pandemia

Que inventei de escrever

Jamais teve a intenção

Que não só o meu querer

De o dia a dia registrar

Pra no futuro lembrar

O que estamos a viver

 

 

Mas é preciso dizer

Aqui não vou divulgar

Notícias de tristeza

Já que quero me alegrar

E se esse meu escrever

Nem pouco alegrar você

Mal também não lhe fará.

 

 

Caros Amigos,

 

 

A partir de 22.03.2020, passei a publicar versos meus em outras situações, retornando ao assunto em pauta apenas eventualmente.

 

Fique á vontade para lê-los ou relê-los no seguinte endereço:

 

www.usinadeletras.com.br

Autores

Letra T

TARCISO COELHO

Contos

 

Obs.: Fico grato pelas visitas, inclusive a outros trabalhos lá publicados, bem como aos comentários que tiverem a bondade de escrever.

 

 

 

Abraços a todos.

 

 

Tarciso Coelho, Crato (CE), 22.06.2020.

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui