Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
98 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57394 )
Cartas ( 21182)
Contos (12615)
Cordel (10140)
Crônicas (22260)
Discursos (3139)
Ensaios - (9065)
Erótico (13414)
Frases (44150)
Humor (18595)
Infantil (3852)
Infanto Juvenil (2804)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138561)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2409)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4945)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cartas-->DELÍRIOS -- 20/09/2004 - 18:20 (Edmar Guedes Corrêa****) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
DELÍRIOS

Quando, fechando os olhos contentes,
Eu respiro o perfume de teus seios,
E sinto o ardente calor de teus meios,
Torno-me um ser de atos inconseqüentes.

Nesta pequena ilha de quatro paredes,
Onde só há para comer: teu fruto saboroso
Eu bebo de tua água -- líqüido viscoso
E assim vou matando minhas sedes.

O sabor de teu alimento me inebria,
Leva-me a mundos, onde nunca iria
Se não fosse em tua nave, eu penetrar.

E enquanto o teu interior me faz delirar
Eu experimento um deleite de pavor
E o ápice do mais puro prazer e amor.


LEIA TAMBÉM:
SÚPLICAS DE UM DEVASSO
NOSTALGIA
UMA NINFARA
ARREPENDIMENTO
TODA VEZ QUE VOCÊ VAI EMBORA
A DOR DA PERDA
COISAS DO AMOR

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui