Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
61 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57099 )
Cartas ( 21170)
Contos (12597)
Cordel (10092)
Crônicas (22211)
Discursos (3136)
Ensaios - (9014)
Erótico (13402)
Frases (43746)
Humor (18482)
Infantil (3789)
Infanto Juvenil (2713)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138308)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4888)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Mon Gigolô -- 03/12/2019 - 07:21 (Joao Batista dos Santos) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

           - Me disseram que você está sugando sua irmã, Mon Gigolo, aliás, Jó, né?

           - Claro. Eu não posso trabalhar (tenho um vício incurável, a preguiça, não trabalho há cinquenta anos, vivo de dar o calote nos outros, como o bobo João, por exemplo, que eu dei calote deR$300,00 em três meses, faz mais de trinta anos), e de explorar mulher) e ela ganha bem.  E eu como não tenho escrúpulo nenhum exploro qualquer idiota.

           - Mas, Jó, esse é seu nome real, né?...

           - É ... Mas, voltando à sua pergunta: Não, isso eu não faço, eu tercerizo

            - Mas você não tem escrúpulo, Jó.

            -  Tenho, mas... não muito. Mas... traçar bagulho velho não é comigo. Pago um pão com mortadela e  dez pingas cheiass pra quelquer um quer queira transar com bofes.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui