Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
131 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58162 )
Cartas ( 21211)
Contos (12859)
Cordel (10239)
Crônicas (22095)
Discursos (3147)
Ensaios - (9230)
Erótico (13453)
Frases (45309)
Humor (18940)
Infantil (4163)
Infanto Juvenil (3236)
Letras de Música (5506)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138722)
Redação (2997)
Roteiro de Filme ou Novela (1058)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5254)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->Cultura de Supermercado -- 04/04/2008 - 16:34 (Marilisa Loureiro Gomes) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
CULTURA DE SUPERMERCADO

Você chega ao supermercado, coloca seu carro no estacionamento, apanha um carrinho de compras e vai às compras. Escolhe pessoalmente, abre embalagens, compara preços; há pessoas que experimentam os produtos, comendo-os, bebendo-os ou aplicando-os em si, como os desodorantes, cremes e perfumes. O prejuízo certamente já deve estar embutido no preço das mercadorias.
Depois passa no caixa, paga (nem pensa em pedir descontos), enquanto as compras vão sendo ensacadas (quando não é você quem tem que ensacá-las), ouve as costumeiras frases:- Encontrou tudo o que procurava? _Obrigado e volte sempre!
Aí você chega numa loja pequena, entra, ignora o cumprimento do vendedor, não aceita a ajuda do mesmo que está apenas querendo personalizar o atendimento, danifica embalagens dando prejuízo (que não está embutido no preço para poder fazer frente à concorrência das grandes empresas) ao micro ou pequeno empresário e na hora de pagar pede descontos. E ainda reclama: _ Como? Só 5%? (Esquecendo que estamos num país praticamente sem inflação). Pede embalagem pra presente e mais uma sacolinha pra carregar o embrulho.
Ao sair, quase tropeça na porta que abrem pra você. Não responde à despedida nem ao agradecimento do vendedor. De cara amarrada, sussurra entre dentes: Puxa saco!

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui