Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
112 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57033 )
Cartas ( 21169)
Contos (12587)
Cordel (10075)
Crônicas (22195)
Discursos (3134)
Ensaios - (8999)
Erótico (13394)
Frases (43631)
Humor (18452)
Infantil (3772)
Infanto Juvenil (2684)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138230)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4851)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Cerimônia de Chegada! -- 18/07/2019 - 10:47 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Cerimonia de Chegada!

 

 

Quando seguimos viagem, principalmente para um lugar mais distante, vendo antigos amigos, é muito bom, a gente se prepara durante dias,  imaginando como estariam nossos amigos de longas datas, pondo as novidades em dia, já que não temos oportunidade de ter contato com nossos afetuosos conhecidos.

Como não gostamos de ficar na casa de outras pessoas, mesmo sendo amigos de longas datas, pois querendo ou não quebramos a rotina de uma família, já tínhamos logo avisado que a possibilidade de ficar na morada deles não existia, preferimos ficar na casa de hóspedes que fica duas ruas depois.

Com passagem reservada há dois meses, tudo ficou mais fácil, porque viagem tem que ser muito planejada, para correr sempre um risco menor de dar errado.

Saímos daqui de nossa terra, em Salvador, já no final de  tarde , com duas horas de viagem para Fortaleza.

Nossa amiga Creuza, já havia ligado várias vezes para saber se estava tudo bem, ela é muito atenciosa, sempre procurando nos agradar da melhor forma possível, por isso que temos sempre uma atenção especial  para com ela.

Combinamos que iriamos de taxi até a sua residência, pois fica muito mais fácil isso do que ela se deslocar para o distante aeroporto...

Mas como a dita cuja gosta de fazer surpresa, ao chegarmos recebemos  uma ligação no nosso celular, onde ela dizia estar aguardando em sua morada, mas quando vimos estava ela toda feliz como a gente, para o reencontro.

Fomos de táxi, nisso já havia passado das dez horas da noite, quando percebemos que  ela pediu para o motorista seguir adiante,passando a frente do nosso combinado destino, já desconfiado falei que queria deixar as malas na casa de hospedes, onde ela retrucou dizendo que depois a gente via isso, pois estávamos cansados e com fome...

Descemos do veículo  intrigados, porque não queríamos ficar na sua residência, mas nossa amiga começou a insistir para que subamos ao apartamento, eu disse que não iria fazer isso, que o combinado foi para estarmos na casa de hóspedes.

A nossa querida disse que era só uma subidinha para ver o seu esposo, mas  dissemos estar muito tarde, que no outro dia iriamos vê-los.

Assim Creuza, nos chamou para ir à orla que fica muito perto, para que possamos comer alguma coisa, para seguirmos para a casa tão esperada...

Seguimos e fomos procurar uma pizzaria, só que não gostamos do serviço, onde terminamos desembocando numa grande e famosa pizzaria da cidade.

Chegando lá, estava muito cheio, entretanto, conseguimos ser atendidos, só que nesse tempo, já passava de  meia noite.

Ao retornarmos para o seu prédio, ela insistiu para subirmos, aceitamos, contudo deixamos nossas malas lá embaixo.

Chegando lá encima, cumprimentamos Celso, seu marido, que perguntou por que não queríamos ficar lá.

Prontamente respondemos que a viagem estava planejada há meses, que a esposa dele sabia que não iriamos ficar lá, foi quando soubemos que a casa estava em reforma e estava tudo imundo!

Mesmo assim fomos para a residência combinada, só que a nossa amiga, pediu o carro para o marido a fim de  que possamos levar a bagagem, aceitamos prontamente, até saímos dirigindo para ir somente até duas ruas depois, foi quando começou a chover torrencialmente, mesmo assim seguimos nosso destino.

Quando chegamos ao lugar, pegamos as malas, o pessoal que estava com a gente, entrou, eu pensei que ela ia seguir seu caminho com o carro, quando a nossa amiga perguntou?

- Quem vai me levar para casa?

Eu disse:

- Você vai dirigindo, afinal são duas  ruas depois e como já passa de maia noite, está sem nenhum trânsito.

Foi quando ela disparou:

- Eu não estou preparada para dirigir, leve o carro para mim?

Eu paralisei-me de indignação, afinal ela veio nos trazer para a casa de hóspedes, como é que eu vou levá-la ?

Mas como a consideração é grande e a paciência também, eu peguei o carro e a levei duas ruas depois.

Quando chegou lá, a porta da garagem abriu-se, e ela pediu para subirmos, para comer algo.

Eu disse que já ia dar uma hora da manhã, que amanhã a gente vinha.

Entreguei  a chave do carro e quando ia voltar a pé, ela disse:

- Agora eu vou te levar andando!

Eu disse que não, já sendo muito tarde, seria perigoso o seu retorno, mas a garota insistiu até voltarmos o caminho novamente...

Quando chegamos lá,  ela perguntou :

- Agora quem vai me levar?

Eu já não sabia mais o que fazer e nessa discussão, resolvi voltar com ela o caminho, e nesse itinerário, veio uma mulher de bicicleta que nos salvou e foi com ela até a outra rua, terminando toda essa cerimônia de chegada, sem saber que era somente o começo de uma grande aventura!

 

 

Marcelo de Oliveira Souza,IwA

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui