Usina de Letras
Usina de Letras
23 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61949 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22529)

Discursos (3235)

Ensaios - (10254)

Erótico (13559)

Frases (50353)

Humor (19993)

Infantil (5387)

Infanto Juvenil (4724)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140710)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Roteiro_de_Filme_ou_Novela-->O BEIJO ROUBADO 5 -- 20/02/2002 - 16:45 (ADÃO JORGE DOS SANTOS) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
85-Claro que não! É que conheço aquela praça e as pessoas que ali transitam.Naquele lugar em que ela estava, no banco em questão, era um lugar de prostituição.
86- Como assim? Explique!
87- Eu explico. Todo mundo sabe que ali naquela praça ao entardecer,as prostitutas fazem ali o seu ponto. São mulheres discretas e de fino trato,senhoras que fazem programa com os homens que as procuram.
88- Advogada-por acaso esta tentando difamar minha cliente ,ao dizer que ela é uma aprostituta?
89- Não!Não falei isto. Disse que ali onde ela estava ,era um lugar de prostituição.Se ela é ou não, isto não é problema meu,vai ver que desconhecia o lugar,tudo é possível.
90 - JUIZ -Então vamos ouvir a versão da sua cliente Doutora,porque agora a situação pode se modificar por completo. Por favor Senhora Luciane,esclareça para nós se tinha conhecimento do lugar onde estava e se sabia, porque permaneceu ali.
91-Luciene- Claro que não!Era primeira vez que ia aquela praça,parei ali para descançar, só isto.
92-JUIZ- Se nos reportarmos ao que disse no começo desta audiência,veremos lá que há uma contratição. (o Juiz pega a folha trascrita e colocando os óculos, começa a ler o que declarou Luciene) A senhora disse: " tudo começou num jardim perto da minha casa onde gosto de passar as tardes". Se o que disse antes for verdade, a senhora esta faltando com a verdade agora. É muita casualidade a Senhora sentar-se justamente no banco que, como afirmou o Senhor Cardozo, é um lugar de prostituição,ou realmente desconhecia, ou esta tentando passar por uma moça ingenua, ou mentindo descaradamente.
93- ADVOGADA- Ora essa! Quer dizer então que se ela for uma prostituta,caso fosse, poderia ser beijada por qualquer um que assim o desejar,não é mesmo Senhor Juiz? Isto é ultrajante.
94- JUiz- Não percebo nada de ultrajante no que foi dito,estamos aqui para esclarecer a verdade, e isto é uma prova contuntente para o caso,tanto que vou confrontar o réu para ver se ele tem conhecimento desde lugar, das prostitutas,e de mais alguma coisa que possa contribuir para este caso.
95 ( O Juiz solicita a presença do ladrão de beijos para depor.)
96- Juiz- Senho Marcio, quero que nos conte se tem conhecimento daquela praça, especifícamente o lugar onde encontrou e beijou a Senhora luciene?
97- Sim ,senhor Juiz, conheço bem aquela praça, todo mundo conhece.
98- Juiz- Todo mundo não esta aqui nesta sala agora,só nós que buscamos a verdade,portanto ,atenha-se a detalhar tudo o que sabe sobre a praça em questão?
99-( Luciene e a Advogada conversam entre si)
LUCIENE -O que vamos fazer agora, se descobrem que sou garota de programa, estamos ferradas.)
100-ADVOGADA- Só vão descobrir se você der com a lingua nos dentes, não se preocupe, tenho tudo sob controle,nos vamos ferrar este filho da puta, pode esperar para ver.)
101- Juiz- Vamos continuar ouvindo o relato do Senhor Cardozo, isto está começando a ficar interessante! Por favor Senhor Cardozo, continue.
102- CARDOZO- Notei que havia mulheres nos outros bancos, algumas conversavam entre si, outras caminhavam de um lado a outro,pareciam ansiosas, preocupadas.Não demorou muito ,um homem se aproximou delas e trocou algumas palavras e se retirou,foi em direção da moça que esta aqui, e sem falar nada, a beijou demoradamente,ao mesmo tempo que passava as mãos nas pernas dela.
103- JUIZ- E ela nada fez para impedir? Se deixou beijar assim sem mais nem menos.Que estranho não?
104- CARDOZO- Eu também achei estranho, mas imaginei que talvez fosse um seu namorado, ou algo parecido. Depois ele partiu sem nada falar.
105- JUIZ- Depois que ele partiu o que ela fez?
106 -CARDOZO- Ela continuou até que um outtro homem, um jovem, se aproximou dela e também lhe deu um beijo na sua boca.Só que desta vez ela repudiou e ficou muito nervosa com o homem, no caso , o nosso beijoqueiro aqui presente.
107-JUIZ - Agora quero saber porque que ficou nervosa com o segundo beijo e não fez nada no primeiro? Gostaria de que me fosse explicado esta mudança de atitude. Por favor senhora luciene, a palavra é sua.Somos todos ouvidos.
108- (A Advogada olhou para a sua cliente e com um gesto de cabeça lhe mandou falar.
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui