Usina de Letras
Usina de Letras
21 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61963 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22531)

Discursos (3236)

Ensaios - (10264)

Erótico (13560)

Frases (50380)

Humor (20000)

Infantil (5391)

Infanto Juvenil (4726)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140717)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6142)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
cronicas-->Valor -- 29/01/2001 - 00:14 () Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
É...Desponta mais um dia normal naquela calma fazenda do interior.Calam por pouco tempo, pois não demorou muito e a esposa do dono da fazendo entra em trabalho de parto, no mesmo momento em que uma humilde vaca se contorce para dar a luz a um pequeno bezerro.Dentro da grande casa de fazenda escuta-se ecoar por todos os cantos o chorar de um bebê... Um menino para alegria do pai, enquanto isso nasce simplesmente mais um bezerro naquele curral de belos animais.
O senhor daquela fazenda com tantas alegrias e com tanto trabalho para registrar seu filho não fica sabendo do nascimento do animal.Assim que os ànimos se acalmam, e ele vem ter com o capataz fica sabendo do novo animalzinho, e logo quer vê-lo...
Assim que chega ao curral encontra o animal quietinho deitado perto de sua mãe, sentindo o calor materno e o ar de proteção que a mãe passava para ele.Assim que o senhor vê o animal ele se espanta, o animal recém nascido mostrava a face horrível arrepiante. Era magro, fraco, desnutrido.E sem muita demora o senhor diz ao capataz.:
- Mata sem muita demora esse animal, ele horrível como e acabará coma reputação de minha fazenda, de ter os animais mais bonitos e bem cuidados da região.
Com medo de perder seu emprego, já que tinha bocas a alimentar, o capataz faz sua parte, retira o pequeno de sua mãe, e o leva a um lugar reservado para sacrifica-lo, ao olhar nos olhos do animal o homem se sente mal em fazer isso e, escondido do seu padrão, leva o animal para sua casa para cria-lo.
O filho do dono da fazenda, um lindo menino, agora já um rapaz, se divertia vivendo na fazenda, conversava, era bem espontàneo, adorava seguir os passos de sue pai, o que lhe dava muito orgulho do filho.
Um dia calma como aquele dia que nascera, o menino saiu para refrescar a cabeça dos tantos afazeres... No meio do seu passeio se distraiu e caiu um buraco enorme, depois de alguns gritos pedindo socorro alguns empregados foram socorrer o menino...
Tentaram de todo jeito possível salvar o menino, devido a profundidade ficava difícil retira-lo do buraco, até que o pai perdeu as esperanças de salvar o menino. Um dos empregados falou que tinha um modo de tira-lo de lá e que iria em sua casa e voltaria com a solução.Depois de muito esperarem, chega o empregado com um lindo, forte e bravo touro.Jogaram uma corta no buraco e rapidamente retiraram o menino.O touro o puxou como se estivesse puxando somente uma pena, ou mesmo a corta sem nada preso a ela.
Depois disso nada mais justo, o pai do menino ofereceu uma recompensa ao empregado, que espontaneamente negou-a, e também fez uma irrecusável proposta de comprar aquele lindo e forte touro para sua criação.O capataz com medo de ser demitido, pensou e respondeu.:
- Senhor, sei que esse touro lhe pertence.Mas não quero vende-lo para o senhor.
O dono da fazenda ficou espantado quando o homem falou que o touro o pertencia e sem compreender perguntou.:
-Meu?Pertence-me este belo animal?Como ?
Sem pestanejar o capataz respondeu.:
-Sim senhor. Pertence-lhe, mesmo o senhor não querendo, eu o criei, o fiz forte e belo...Cuidei com pena daquele que um dia o senhor mesmo mandou matar!





Adão Carioca!
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui