Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
184 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58139 )
Cartas ( 21211)
Contos (12855)
Cordel (10239)
Crônicas (22080)
Discursos (3147)
Ensaios - (9225)
Erótico (13453)
Frases (45289)
Humor (18935)
Infantil (4156)
Infanto Juvenil (3232)
Letras de Música (5505)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138700)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1058)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5249)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->COMER UM “CORONEL” DÁ CADEIA... -- 12/11/2007 - 08:54 (getulio silva) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
COMER UM “CORONEL” DÁ CADEIA...


Em Alagoas, numa cidadezinha com o nome de Penedo que dista 170 km de Maceió, o dono de uma lanchonete foi parar na cadeia por batizar sanduíches com patentes militares. Uma estratégia de Marketing que acabou virando o maior furdunço, sendo que o dono bem intencionado, só queria homenagear a corporação da Polícia Militar Local e consequentemente vender mais sanduíches...
O Comandante da Polícia Militar daquela cidade entendeu que não ficaria bem alguém chegar à lanchonete e pedir “quero comer um Coronel mal passado ou sair de lá dizendo: Acabei de comer um Sargento bem passado”. Toda essa confusão foi parar na Delegacia, onde foi lavrado o Boletim de Ocorrência e face ao tumulto havido, a casa comercial ficou fechada por algumas horas. Como o Delegado de Plantão, entendeu que não havia motivo para prisão, liberou o dono da lanchonete, horas mais tarde.
O dono do estabelecimento contratou um advogado, para entrar na Justiça com uma denúncia por abuso de autoridade contra o Comandante da Polícia Militar e uma ação reparatória por dano, contra o Estado de Alagoas. Na referida ação, vai alegar que não existe nenhum texto legal que impeça um restaurante de incluir, no seu cardápio, ”lula à milanesa” “filé a cavalo”, “coronel mal passado”, “Major ao Ponto...” O advogado já pediu hábeas corpus preventivo pra evitar outra detenção de seu cliente. A peça sustenta que “se o argumento do Comandante fosse válido, nenhuma festa de criança poderia ter brigadeiro” como se sabe, Brigadeiro, além, de ser alta patente da Aeronáutica é também o nome do docinho obrigatório em aniversário de crianças...
Fico aqui, pensando com meus botões, será que a crise do espaço aéreo não é conseqüência de termos comido tantos brigadeiros, e a coisa ficou tão banal! Acho bom trocar o nome desse docinho delicioso, enquanto é tempo. Agora, comer Coronel nem pensar! Acho mais recomendado, comer “lula frita” e quem sabe a Nação Brasileira agradece... E todos ficam Felizes!



Getúlio Silva 10/11/2007.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui