Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
235 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59120 )

Cartas ( 21236)

Contos (13110)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9437)

Erótico (13481)

Frases (46507)

Humor (19274)

Infantil (4457)

Infanto Juvenil (3722)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138224)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5522)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->O LENHADOR E A RAPOSA -- 21/07/2016 - 21:38 (benedito morais de carvalho(benê)) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.
Havia um lenhador que acordava ás 6 da manhã e trabalhava o dia inteiro cortando lenha e só parava tarde da noite. Esse lenhador tinha um filho lindo, de poucos meses, e uma raposa, sua amiga, tratada como bicho de estimação, era de sua total confiança.
Todos os dias o lenhador ia trabalhar e deixava a raposa cuidando do seu filho. Ao retornar do trabalho a raposa ficava feliz com a sua chegada.
Os vizinhos desse lenhador alertavam que a raposa era um bicho, um animal selvagem, e portanto não era confiável. Quando ela sentisse fome comeria a criança.
O lenhador sempre retrucando com os vizinhos, argumentava que isso era uma bobagem. A raposa era amiga e jamais faria isso.
Os vizinhos insistiam:
- Lenhador, abra os olhos!! A raposa vai comer  seu filho.
- Quando sentir fome, comerá seu filho! - repetia outro.
Um dia o lenhador exausto do trabalho,e cansado desses comentários, resolveu voltar mais cedo, e ao chegar em casa viu a raposa sorrindo como sempre, e sua boca, suja de sangue...
 
Ele suou frio, e sem pensar duas vezes meteu o machado na cabeça da raposa.
 
Ao entrar no quarto, desesperado, encontrou seu filho no berço, dormindo tranquilamente, e ao lado do berço, uma cobra morta.
 
O lenhador, desesperado, enterrou o machado e a raposa juntos.
 
Moral da história: não se mata uma sólida amizade, acreditando apenas em fofocas.
 
 
Autor desconhecido
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 49Exibido 391 vezesFale com o autor