Usina de Letras
Usina de Letras
123 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62145 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10448)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10339)

Erótico (13566)

Frases (50551)

Humor (20021)

Infantil (5418)

Infanto Juvenil (4750)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140784)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6175)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->Ai, Limeira, Limeirinha! -- 23/04/2002 - 17:22 (Anecildo Katz) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Ai, Limeira, Limeirinha,
Limeirinha do cordel,
minha vida, que definha,
só resiste no papel.
Ai, Limeira, Limeirinha,
Limeirinha do cordel.

Ai, Limeira, Limeirinha,
Limeirinha do cordel,
tua neta é uma galinha,
horas extras no bordel,
Ai Limeira, Limeirinha,
Limeirinha do cordel.

Ai, Limeira, Limeirinha,
Limeirinha do cordel,
cantando galo de rinha,
em cada dedo um anel,
nunca se viu na pracinha
tão maluco menestrel.

Ai Limeira, Limeirinha,
insolita aparição,
vê se cuida certo poeta
que diz que entrou em depressão;
seu nome é Mestre Egídio,
cabra de bom coração.





Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui