Usina de Letras
Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
197 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58847 )
Cartas ( 21227)
Contos (13050)
Cordel (10266)
Crônicas (22175)
Discursos (3163)
Ensaios - (9368)
Erótico (13475)
Frases (46091)
Humor (19167)
Infantil (4365)
Infanto Juvenil (3567)
Letras de Música (5469)
Peça de Teatro (1332)
Poesias (137991)
Redação (3039)
Roteiro de Filme ou Novela (1060)
Teses / Monologos (2425)
Textos Jurídicos (1940)
Textos Religiosos/Sermões (5438)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Perfil 2 -- 01/02/2021 - 13:30 (Luzineti Espinha) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

Pensadamente, contate-me

Não importa de que jeito

Escreva-me uma carta

Mande-me um e-mail

Quem sabe um poema

Plástico, elástico, erótico,

Romântico. Talvez...

 

Sonde primeiro

as imediações de quem sou

e me reconheça.

Meça meus voos.

Essa hermética atrevida,

Esse sol noturno,

Essa alternância

entre a morte e a vida,

 

Teste com a mão

a minha temperatura,

Depois,

a força na oclusão

da minha mordedura.

Com a ponta da língua,

prove da minha doçura.

Deguste, disfarce e engula:

Não sei não ser essa mistura.

 

Senta-se à mesa

com o guardanapo aberto

Costumo me esparramar

Escorrer por desertos

Encharcando os cantos

E entupindo os egos

 

Devagar se imponha

bem no fundo da sua boca

a medida do meu o pulso,

aspereza da minha textura.

Abra os olhos ao tomar posse.

Sou uma faca de dois gumes

Que cortam, que sangram,

Que protegem meus instintos

 

Comentários

Topo Gigio  - 06/02/2021

Parabéns. Você escreve muito bem. Abraços.

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 0Exibido 27 vezesFale com o autor